MulteFire é aliança para colocar LTE nas organizações

Qualcomm, Intel e Ericsson estão entre um grupo de empresas a promover a iniciativa.

Estádio do Jamor por Koshelyev_ Obra do próprio_ Licenciado sob CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Intel, Ericsson e Nokia juntaram-se à Qualcomm na formação da MulteFire Alliance, um grupo sectorial focado no desenvolvimento e promoção da norma de comunicações LTE, usada em frequências não licenciadas, utilizadas actualmente para redes Wi-Fi nas empresas.

Uma grande indústria tem crescido para atender às exigências internas de comunicações sem fios nas organizações. Mas o recurso a pequenas estações-base de telefonia móvel é relativamente novo e os dispositivos foram projectados principalmente para fornecedores de serviços.

A LTE pode ter um importante papel a desempenhar, em casos nos quais as empresas precisam especificamente de cobertura de telefonia móvel, ou de redes locais que precisam de ser mais do que LAN privadas, sem obrigação de pagar licenças.

As redes de LTE actuais usam espectro licenciado exclusivo de um operador. Como o espectro licenciado é tão difícil de obter e geralmente caro, a Qualcomm e outras empresas pretendem preparar formas de usar a LTE em frequências não licenciadas como a banda dos 5GHz usadas pelo Wi-Fi.

A iniciativa MulteFire baseia-se em tecnologia da Qualcomm e, se vingar, deixará as pequenas e grandes empresas implantarem estações-base LTE nas suas instalações. A LTE usa o espectro de forma mais eficiente do que o Wi-Fi. E consegue obter vantagens de um universo de recursos internos para LTE, como por exemplo a transição das sessões entre estações-base, dizem os apoiantes da iniciativa.

A MulteFire pode ser particularmente interessante para locais como estádios e outros locais de espectáculos, onde o proprietário ou um fornecedor de serviços pode implantar uma rede para servir comunicações mais rápidas.

A MulteFire pode ser ainda mais interessante para locais como estádios e outros locais de espectáculos, onde o proprietário ou um fornecedor de serviços pode implantar uma rede para servir comunicações mais rápidas. A chamada rede de “anfitrião neutro” (“neutral host”) poderá ser disponibilizada a subscritores, para múltiplos operadores, sem interferir em quadros legais das frequências licenciadas desses fornecedores.

Nem haverá necessidade de coordenação com estações-base vizinhas. Os utilizadores com telefones equipados com tecnologia MulteFire poderiam chegar ao local e automaticamente começar a usar a rede.

Dois desafios para a MulteFire

Por agora, a MulteFire enfrenta o mesmo desafio das propostas de disponibilização de LTE sem licença para redes móveis regulares: a oposição de fabricantes e de grupos de consumidores.

Os dois grupos dizem que a tecnologia não está pronta para usar os mesmos canais do Wi-Fi sem cortar o desempenho das redes baseadas nesta norma. Vários agentes têm procurado trabalhar no sentido da coexistência dos dois tipos de redes.

A MulteFire Alliance pretende desenvolver uma especificação técnica global, criar uma certificação de produto, divulgar casos de utilização da tecnologia e assegurar que a MulteFire não interfere com as redes Wi-Fi. Um passo nessa direção será  incluir o recurso “ouvir antes de falar”, exigido pelos reguladores para redes de LTE sem licenciamento, na Europa e no Japão.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado