Erro 451 é o novo código para a censura online

O erro de código 451 avisa quando o conteúdo que se quer ver é bloqueado devido a “obstáculos legais”.

censorship internet - IDGNS

A Web está cheia de códigos enigmáticos que o browser mostra quando não se consegue ligar a um site, como o “403 Forbidden” ou o “404 Not Found”. Agora, o Internet Engineering Steering Group (IESG) adicionou mais um erro de código para o browser – mas, desta vez, clarifica porque não se pode aceder a algo online.

O IESG aprovou recentemente o erro 451 que informa os visitantes de um site que não podem ver o conteúdo solicitado devido a “obstáculos legais”, o que geralmente significa censura do governo. O ex-engenheiro da Google, Tim Bray, sugeriu há três anos o erro 451 inspirado por um romance de Ray Bradbury, “Fahrenheit 451“.

O erro de código 451 pode ser usado por um site como o Facebook ou o Twitter, ou por intermediários de rede, como uma firewall ou um ISP.

À primeira vista, o 451 parece uma grande ideia para notificar os cidadãos em países repressivos se o governo está a bloquear algum conteúdo específico. Mas esse tipo de governos também pode impedir os seus cidadãos de verem esse erro de código. Além disso, quem vive num país onde a informação é restrita, provavelmente está ciente de que não pode ver determinados sites.

Países democráticos e semi-democráticos são os locais mais prováveis onde o 451 se vai tornar útil.

Por exemplo, a decisão do governo do Reino Unido em 2012 para forçar os fornecedores de acesso à Internet a bloquearem o site de torrents The Pirate Bay. Ao invés de usar o “403 Forbidden”, os ISPs poderiam em vez disso retornar um 451 para deixar claro porque os seus clientes não podiam ver algum conteúdo específico.

A decisão do Reino Unido em bloquear o The Pirate Bay e textos de Terence Eden e no Slashdot inspiraram Bray a sugerir o erro 451.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado