Cinco formas como o software mudou para sempre

Se não as tem já, pode ter a certeza de que capacidades analíticas estão a chegar a aplicação perto de si.

código_software_slide_opening-620x465-100499243-origDurante o ano de 2015 houve grandes mudanças nas aplicações de software principais e nas ferramentas usadas por empresas todos os dias. Algumas prometem ter um impacto particularmente duradouro e destacam-se cinco.

Tal como em casa

Comparem-se ferramentas de software empresarial de hoje com aquelas de apenas há um ou dois anos e não pode deixar de se notar uma diferença marcante: a experiência de utilizador.

O software actual incorpora cada vez mais paradigmas e características do mundo do consumidor, em particular os de smartphones e computação móvel.

As interfaces estão muito mais simples, as funcionalidades de interacção social são omnipresentes e imitam aquelas com que estamos familiarizados nas nossas vidas pessoais. E tudo tende a ser concebido para a mobilidade.

Analítica para todos

Outra componente omnipresente que não estava lá antes é a analítica. As capacidades analíticas estão a ser democratizadas e se alguém ainda não as tiver disponíveis, pode ter a certeza de que estão prestes a chegar a uma aplicação próxima.

Os utilizadores empresariais tendem a já precisar de pedir ao departamento de TI ou implorar por tempo com um analista altamente treinado. Em vez disso, há já muitas ferramentas de analítica acessíveis, dando o poder de segmentar dados e sondá-los como se entender. Em muitos aspectos, também traz riscos potenciais.

Big Data e além disso

Até os dados mudaram drasticamente e forçam ainda mais mudanças no software empresarial. A palavra já representou números como “unidades vendidas” numa base de dados relacional. Mas agora ultrapassa isso e é diferente.

Não só temos grandes volumes de dados, mas também elementos qualitativos, não estruturados, o fluxo de dados provocando grandes mudanças, tanto nas bases de dados como nas abordagens aos mesmos.

E a rede das coisas

Fluxo de dados? Sim, não há maior fornecedor desse tipo de corrente de elementos do que a Internet das coisas (IoT). E software empresarial é cada vez mais desenvolvido para acomodar esse “fluido” contínuo e torná-lo acessível para análise.

Aprendizagem de máquina desponta cada vez mais

O termo “aprendizagem de máquina” está a surgir com frequência cada vez maior no mundo do software empresarial. Já começou a enriquecer as ferramentas de software com novas capacidades e parece bastante certo que há muito mais para aparecer. O ano de 2016 deverá ser ainda mais rico nesta área.


Artigo seguinte


Deixe um comentário

O seu email não será publicado