Estudo confirma substituição de voz e SMS por apps entre os jovens

Cerca de 45% não demonstra preocupação sobre as radiações electromagnétcas e mais de 70% não muda comportamento para se proteger.

Estudo do FAQtos

“O aumento significativo dos planos tarifários com pacotes de acesso à Internet está a incentivar os jovens portugueses em idade escolar a aderir a aplicações de troca de mensagens como alternativa aos serviços de voz e SMS no telemóvel”, conclui um estudo da FAQtos.

Pela primeira vez, houve maior percentagem (perto de 20%) de jovens a usar mais o serviço de acesso à Internet, do que o de voz (pouco acima dos 10%), no último ano lectivo, segundo o relatório.

Entre os períodos de escola 2010/11 e 2014/15, o número de alunos que acedeu à Internet e às redes sociais através do telemóvel passou de 35% para mais de 85%, e o crescimento foi maior nos últimos dois.

“No último ano, a média de SMSs enviadas por dia desceu de mais de 100 para 80, e o tempo médio diário passado em chamadas diminuiu 23%, nivelando-se nos 30 minutos/dia”, diz um comunicado sobre o estudo.

Mais de 70% dos jovens inquiridos tem um pacote de dados incluído no tarifário, facto que impulsiona o uso de aplicações de mensagens instantâneas face a serviços de voz e de SMS, defendem os investigadores.

O trabalho integrado num projecto promovido pelo INOV-INESC procura também perceber o grau de sensibilidade aos riscos de exposição a radiações electromagnéticas:

‒ 45% dos jovens não demonstra preocupação;

‒ 70% não muda de comportamento para se proteger.

A investigação teve por base 7.820 inquéritos, realizados durante quatro anos, a estudantes do ensino secundário de 116 escolas de todo o país.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado