Redes sociais cada vez mais relevantes

As redes sociais tal como as conhecemos estão a entrar na adolescência e têm ganho uma importância cada vez maior nas nossas vidas, explica Esperança Afonso, coordenadora de projecto na Marktest Consulting.

Esperanca Afonso - Marktest

As redes sociais estão a entrar na adolescência. Entre as redes mais usadas hoje, o LinkedIn e o Hi5 são as mais antigas. Criadas em 2003, têm agora 12 anos. O YouTube tem 10 anos. O Facebook e o Twitter apenas nove (o Facebook foi criado em 2004 mas só em 2006 é que permitiu o acesso livre fora do âmbito universitário a todos os utilizadores com mais de 13 anos).

Sendo um fenómeno recente, as redes sociais têm tido no entanto um rápido crescimento e ganhado uma relevância muito grande nas nossas vidas. O “boom” do uso das redes sociais em Portugal dá-se em 2010 (crescimento de 51%) e depois ainda em 2011 (33%) e em 2012 (27%). Atualmente, 65% dos portugueses com 15 e mais anos usam Internet e 55% usam redes sociais (há apenas cerca de 900 mil que usam a Internet e não usam redes sociais). No mesmo sentido, 15% do consumo de Internet em 2014 (em páginas) foi feito em redes sociais.

Hoje, falar de redes sociais é sobretudo falar do Facebook, a rede predominante em Portugal: 93% dos portugueses dizem, em 1º lugar e de forma espontânea, conhecer o Facebook, 94% têm conta no Facebook, 86% dizem que é a rede social que mais utilizam e 67% dizem que é a rede social de que mais gostam.

Uma análise de tendências permite-nos verificar que a mobilidade é talvez a mais relevante dos últimos anos. Isto deve-se a uma conjugação de fatores:
aumento da penetração de smartphones: em Portugal, o número de possuidores quase duplicou em três anos; atualmente 60% dos indivíduos com 10 e mais anos possui este equipamento;

conveniência: cabe na palma da mão; não necessita esforço da nossa parte;

total mobilidade: pode ser usado em qualquer local;

funcionalidades disponíveis e usadas nas redes sociais: foto e vídeo, geolocalização…

Hoje, 27% dos acessos a sites de media em Portugal é feito através de equipamentos mobile e 22% por smartphone.

Se não se prevê que nos próximos tempos o Facebook perca a sua relevância e abrangência, são no entanto evidentes novas redes emergentes, como o Instagram, Pinterest ou Tumblr. O Instagram é o 3º site mais conhecido (depois do Facebook e do Twitter e o 5º site onde mais utilizadores dizem ter perfil (depois de Facebook, YouTube, Google+ e LinkedIn). O Instagram e o Tumblr registaram ainda este ano a maior taxa de crescimento face a 2014.

Veremos pois o que estas redes reservam no futuro e em que medida o Facebook conseguirá manter-se na liderança.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado