Até o FBI está preocupado com a segurança da IoT

Agência norte-americana recomenda protecção para dispositivos da Internet das Coisas.

FBI - Dave Newman - IDGNS

No meio de toda a excitação sobre os possíveis benefícios da Internet das Coisas (IoT), uma série de advertências soou por profissionais de TI, fornecedores e analistas sobre iminentes ameaças à segurança. Agora, pode-se adicionar o FBI a essa lista de advertências aos entusiastas.

A agência norte-americana emitiu na semana passada um anúncio público sobre oportunidades do cibercrime colocadas pela ligação de todos os tipos de dispositivos de dados, de equipamentos médicos a dispositivos de entretenimento, à Internet.

“Semelhante a outros dispositivos computacionais, como computadores ou smartphones, os dispositivos da IoT também representam riscos de segurança para os consumidores”, adverte o FBI.

Este cita “recursos insuficientes de segurança e dificuldades na correção de vulnerabilidades nestes dispositivos, bem como uma falta de sensibilização para a segurança do consumidor”, dando aos cibercriminosos possibilidades de ataque e roubo de informações.

O protocolo Universal Plug and Play (UPnP) é particularmente vulnerável, tal como os dispositivos com passwords por defeito e ligações Wi-Fi abertas, diz o FBI.

Algumas recomendações para protecção da agência incluem:
– isolar dispositivos da IoT nas suas próprias redes protegidas;
– desactivar o UPnP em routers;
– considerar se os dispositivos da IoT são ideais para a finalidade pretendida;
– aquisição de dispositivos de IoT de fabricantes com um historial de fornecimento de dispositivos seguros;
– quando disponível, actualizar os dispositivos com “patches” de segurança;
– estar ciente das capacidades dos dispositivos e aparelhos instalados nas casas e em empresas.
– usar passwords fortes.


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado