Marinha dos EUA paga 9,1 milhões para manter XP

O sistema operativo e tecnologias obsoletas continuam a ser críticas para as operações da força armada, afectando unidades de comando e controlo.

Tecnico no SPAWAR Systems Center Pacific_US Navy photoRick Naystatt

A marinha dos EUA vai pagar 9,1 milhões de dólares à Microsoft para manter até 100 mil computadores a funcionar por ainda ter de fazer a actualização de sistemas equipados com o Windows XP. O Space and Naval Warfare Systems Command (SNWSC) gere as redes de comunicação e de informação da força armada e assinou um contrato com o fabricante para ter acesso contínuo a actualizações de segurança para o Windows XP, Office 2003, Exchange 2003 e Windows Server 2003.

O valor do mesmo pode atingir até 30,8 milhões de dólares, com o vínculo a poder estender-se até 2017. Os três primeiros desses sistemas foram considerados obsoletos pela empresa, e o Windows Server 2003 irá atingir o seu fim de vida a 14 de Julho.

Como resultado, a Microsoft parou de emitir actualizações de segurança gratuitas, mas continuará a fazê-lo mediante pagamento para clientes como a marinha dos EUA.

A Marinha já iniciou uma transição a partir do XP em 2013, mas emMaio de 2014, ainda tinha cerca de 100 mil estações de trabalho a rodar XP ou outro software.

“A marinha depende de uma série de aplicações legadas e programas ainda baseados de produtos legados do Windows”, afirma Steven Davis, porta-voz do SNWSC sistemas de guerra em San Diego. “Até essas aplicações e programas serem modernizadas ou eliminadas, a continuidade dos serviços é necessária para manter a eficácia operacional”.

As aplicações da Microsoft em questão afectam sistemas críticos de “comando e controlo” em navios e sistemas legados baseados em terra

Davis não quis fornecer mais detalhes sobre os sistemas ou a sua utilização, citando políticas de cibersegurança. Mas um documento não classificado da marinha diz que as aplicações da Microsoft afectam sistemas críticos de “comando e controlo” em navios e sistemas legados baseados em terra.

Os sistemas afectados estão associados à NIPRnet, rede IP do governo dos EUA para informação não-classificada, mas também à SIPRNet, a rede de informações classificadas. Davis ainda confirmou que decorre um plano de migração e actualização dos sistemas.

Aproximadamente 10% dos desktop que acedem a sites usando o serviço de monitorização de tráfego StatCounter, durante o mês em curso executam ainda o Windows XP. O sistema operativo tem uma quota semelhante à do OS X. Dados da Net Applications colocam o XP com uma fatia de 14%.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado