Coimbra Genomics com potencial reconhecido no eHealth

A empresa foi eleita a segunda mais prometedora startup europeia na EU SME eHealth Competition.

Nuno Arantes-Oliveira entre  os vencedores do EU SME eHealth Competition (segundo a contar da esquerda)_UE (DR)

Nuno Arantes-Oliveira entre os vencedores do EU SME eHealth Competition (segundo a contar da esquerda)

A Coimbra Genomics foi votada como a segunda maior promessa da Europa entre as PME da área da eHealth, durante a EU SME eHealth Competition, à qual concorreram 114 empresas de toda a Europa.

A final decorreu na passada segunda-feira em Riga (Letónia) e a empresa apresentou a concurso o seu software Elsie, uma tecnologia que permite a médicos de qualquer especialidade a tomada de decisões clínicas com base na informação genética dos doentes, em tempo real e em segurança.

“Apesar de estar convencido que poderíamos ter ganho, esta distinção honra-nos pois o nível dos adversários foi elevadíssimo e a abrangência do sector é enorme”, declarou Nuno Arantes-Oliveira, um dos fundadores da empresa, o qual apresentou o projecto ao júri.

A empresa alemã Soma Analytics, foi eleita a maior promessa.

A Coimbra Genomics foi a única PME portuguesa entre as 13 finalistas da competição, parte integrante da eHealthWeek 2015 patrocinado pela Comissão Europeia, entre outras entidades públicas e privadas. Desenvolve aplicações móveis para aumentar a resiliência emocional dos utilizadores.

A empresa foi fundada em 2013 pela Critical Software, Parque Biocant e um grupo de empreendedores e cientistas de renome, e beneficiou de investimento dos fundos de capital de risco Portugal Ventures e Critical Ventures. Conta com uma equipa de especialistas em genética e bioinformática baseada no Biocant – Centro de Inovação em Biotecnologia, em Cantanhede.

A startup tem ainda parcerias com entidades como o IPATIMUP, a multinacional Beijing Genomics Institute (BGI), o Centro Hospitalar Universitário de Coimbra (CHUC) e, mais recentemente, com empresas e instituições de cuidados de saúde em vários países europeus, diz um comunicado.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado