Fabricantes dificultam troca de dados da saúde nos EUA

O problema pode piorar conforme o uso das TI cresce no sector, particularmente no campo dos registos electrónicos de saúde.

Dispositivo futuristico de saude, da Sharp (DR)_Martyn Williams

Os fornecedores de tecnologia para registos electrónicos de saúde estão a tornar o processo de partilha de informações sobre o paciente muito caro e complicado para os hospitais e médicos, nos EUA. O problema afecta não só o custo dos cuidados de saúde, como também a qualidade dos mesmos, concluiu uma agência do governo norte-americano que supervisiona as iniciativas de TI de saúde no país.

O Office of the National Coordinator for Health Information Technology (ONC) explica, num estudo, os desafios que os prestadores de cuidados de saúde enfrentam ao tentarem facilitar a partilha de dados do paciente. Entre os problemas identificados consta a cobrança de taxas elevadas para configurar as interfaces de troca de dados sobre os pacientes, para hospitais e laboratórios, por parte dos fornecedores.

Estes são acusados de forçarem os clientes a usarem tecnologia proprietária e recusarem-se a publicar interfaces de programação de aplicações (API). A partilha de dados de saúde por via electrónica é essencial para as TI serem usadas com o objectivo de prestarem melhores cuidados e mais acessíveis, recorda o ONC.

“O bloqueio de informações” pelos fornecedores dificulta esse processo, reforça a organização, sem apontar empresas específicas. Apesar das acusações, a entidade considera não ser claro se o problema está generalizado.

A resolução do problema poderá exigir uma abordagem multifacetada, incluindo a definição de nova legislação, exigindo maior transparência dos fornecedores sobre os custos de software e restrições associadas.

Mas apenas por ser difícil obter uma avaliação mais precisa do problema: contratualmente os fabricantes proíbem os clientes de discutir temas relacionados com custos e restrições. Ainda assim, a partir da informação recolhida pelo ONC, “é evidente que alguns fornecedores e programadores estão envolvidos no bloqueio de informações”.

Resolver este problema poderá exigir uma abordagem multifacetada, incluindo a definição de nova legislação federal, a exigir mais transparência dos fornecedores sobre os custos de software e restrições. O pacote de leis deverá procurar auxiliar as investigações policiais sobre o bloqueio de informação, fomentar a interoperabilidade através de incentivos.

O Congresso dos Estados Unidos solicitou em Dezembro de 2015 o estudo publicado, face a receios de que os fornecedores de TI para a saúde estavam a lucrar com os bloqueios à partilha.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado