Microsoft anuncia fim do suporte ao Windows Server 2003 em Portugal e partilha dicas para migração bem sucedida

No próximo dia 14 de julho termina o suporte da Microsoft ao Windows Server 2003, que chega assim, após 12 anos existência no mercado, ao fim do seu ciclo de vida.
(Conteúdo patrocinado)

ws2003

 

As empresas que não fizerem a migração até essa data para um software mais atual não só deixam de receber as atualizações habituais – só no ano de 2013 foram lançadas 37 actualizações críticas para o Windows Server 2003 R2 – como correm uma série de riscos, que podem implicar custos superiores à aquisição de software novo. Além de que não estão em conformidade com a regulamentação do setor, o que também pode ter um impacto negativo no seu negócio.

Com o fim de vida do Windows Server 2003 marcado para 14 de julho, as empresas devem aproveitar a oportunidade para modernizarem as suas infraestruturas de TI, ao mesmo tempo que evitam riscos de segurança e aumento dos custos.

Esta é uma oportunidade para as empresas modernizarem as suas infraestruturas e aplicações, com valor acrescentado para o seu negócio em termos de produtividade e de competitividade migrando para uma plataforma mais atual como o Windows Server 2012 R2, ou o Microsoft Azure na Cloud. Este movimento deve ser iniciado o quanto antes, para garantir que a 14 de julho o processo de transição está concluído, não incorrendo assim em quaisquer tipo de riscos.

Desde o lançamento do Windows Server 2003 verificaram-se uma série de alterações e mudanças – o hardware é mais barato, as ameaças de segurança diversificaram-se, os novos sistemas operativos permitem muitas mais funcionalidades (virtualização incluída sem custos adicionais, por exemplo), aumentaram a segurança, o desempenho, e o trabalho com mobilidade é a nova realidade. Por tudo isso, a migração pode significar uma série de mais-valias para o negócio em áreas como consolidação e virtualização de sistemas de informação através do Hyper-V incluído de base no Windows Server 2012 R2, atualizar os acessos remotos para permitir cenários móveis que não eram posíveis há 10 anos, usar o Office 365 para email ou SharePoint; usar o Microsoft Azure para alojar websites ou sistemas de negócio, backups ou até para criar novas aplicações SaaS.

Microsoft partilha uma série de conselhos que ajudam as empresas a identificar as suas necessidades e a escolher a nova solução de TI em função disso.

Antes de iniciar o processo de migração, as empresas devem avaliar as suas necessidades e, decidir em função disso.

Para ajudar os responsáveis de TI a fazer o diagnóstico, a Microsoft partilha algumas dicas e conselhos:

  • Identificar que aplicações e software têm em tecnologia ultrapassada como o Windows Server 2003. Há uma série de ferramentas que podem ajudar neste processo, como o Microsoft Assessment and Planning (MAP) Toolkit (disponível gratuitamente aqui), que permitem fazer o ponto de situação atual e ajudam a perceber qual a plataforma que melhor responde às necessidades. Outra hipótese é o contacto com um parceiro Microsoft;
  • Depois de perceber quais as aplicações e software que tem de migrar, há que definir um plano de transição para garantir que o processo não perturba o normal funcionamento da empresa. Se tem aplicações desenvolvidas à medida e tem dúvidas sobre a sua migração, recomendamos o contacto com um parceiro Microsoft para o ajudar na definição do plano;
  • O passo seguinte é a escolha da solução. Por exemplo, pode decidir manter as aplicações locais com um novo servidor como o Windows Server 2012 (R2), mudar-se para cloud e alojar o seu servidor numa plataforma como o Microsoft Azure ou fazer uma combinação dos dois. Por exemplo, se a flexibilidade e escalabilidade forem extremamente importantes para a sua empresa e não tem recursos para gerir o seu hardware, o melhor será uma solução de cloud pública como o Microsoft Azure; se precisar das vantagens dos dois tipos de implementação (local e cloud), há que considerar uma solução de cloud híbrida. Um exemplo é o servidor estar residente localmente mas a recuperação de desastres ou backup estar a ser feito com o Microsoft Azure;
  • Quando avançar para a migração, existem várias ferramentas que o podem ajudar na migração, na maioria das vezes sem qualquer impacto técnico. E até 20 de Junho usufrua de 10% de desconto na aquisição do Windows Server 2012 R2 bem como de um voucher de Azure para explorar os benefícios da Cloud. Pode contactar-nos diretamente ou o seu parceiro Microsoft para uma rápida avaliação do melhor modelo de migração e porventura aproveitar o momento para modernizar e tirar ainda mais valor da tecnologia.

Mais informação sobre como migrar do Windows Server 2003 aqui.

 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado