Hackers recolhem dados para a NSA

A agência e os seus parceiros estão a interceptar informações roubadas por hackers a alvos de espionagem.

NSA - PCW

A Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos e os seus parceiros de inteligência estão a analisar dados roubados por hackers patrocinados por Estados e por “freelancers” numa base regular e em busca de informações valiosas.

Apesar de constantemente alertarem sobre a ameaça dos hackers e procurarem a sua acusação judicial, as agências de espionagem dos EUA, Canadá e Reino Unido montaram um sistema de análise que serve os seus interesses, revelou o The Intercept.

“Os hackers estão a roubar e-mails de alguns dos nossos objectivos…, ao recolher ao que os hackers acedem, nós 1) temos nós mesmo acesso aos e-mails e 2) obtemos informação sobre quem está a sendo hackado”, diz-se numa página de um wiki interno usado pelas agências. A página, modificada pela última vez em 2012, estava entre os ficheiros revelados por Edward Snowden aos jornalistas e foi publicada pelo The Intercept.

Uma tal quantidade de dados roubados é conhecida internamente pela aliança dos Five Eyes – as agências de inteligência dos EUA, Canadá, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia – sob o nome de código INTOLERANT.

“O tráfego INTOLERANT é muito organizado”, diz-se na página wiki. “Cada evento é marcado para identificar e categorizar as vítimas. Os ciberataques aplicam normalmente descritores para cada vítima – isso ajuda as vítimas do rebanho a acompanhar quais os ataques bem sucedidos e os que falharam”.

As vítimas cujos dados foram furtados por hackers e fazem parte do INTOLERANT incluem: missões diplomáticas e marinha indianas; missões diplomáticas da Ásia Central; defensores dos direitos humanos chineses; personalidades tibetanas pró-democracia; activistas uigures; o governo tibetano no exílio; o representante especial da União Europeia para o Afeganistão e fotojornalistas indianos.


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado