Windows regride nos resultados da Microsoft

As vendas com desconto levaram a uma queda anual de 25% nas receitas referentes ao sistema operativo, evidenciando a importância de o lançamento do Windows 10 ser bem sucedido.

Satya Nadella_CEO da Microsoft (DR)Mesmo com o negócio de dois produtos chave para a Microsoft ‒ Surface e Office 365 ‒ a registarem fortes ganhos, a unidade onde se integram as vendas do Windows teve uma queda anual de 25%, tendo em conta os resultados trimestrais do fabricante. O facto sublinha a urgência das mudanças prometidas com o Windows 10, e do lançamento do sistema operativo correr bem para a empresa.

Os lucros da empresa caíram quase 11%, no último trimestre do ano civil, reflectindo o impacto das vendas do sistema operativo com desconto. A organização registou lucros líquidos de 5,86 mil milhões de dólares no trimestre, ou 71 centavos por acção, abaixo dos 6,56 mil milhões de dólares durante o trimestre do ano anterior.

As receitas subiram 8%, para 26,4 mil milhões de dólares, suplantando as previsões de analistas consultados pela Yahoo Finance: lucros de 71 centavos por acção e receita de 26,330 mil milhões.

Apesar disso, as receitas da Microsoft são piores do que aparentam. No âmbito das unidades de negócio, o crescimento da empresa foi impulsionado pelo segmento “Comercial Outros”, o qual inclui o Office 365 comercial, além de produtos de cloud computing como o Azure, bem como pela “Dispositivos e Consumidor Outros” (Bing, Xbox Live e Office 365 para os consumidores).

A empresa também registou 2,28 mil milhões de dólares americanos em vendas de telefones, uma unidade de negócios que não tinha há um ano, e captou 314 milhões de dólares em receita atribuída ao seu negócio empresarial, face a prejuízos de 55 milhões no ano anterior.

As vendas do Surface resultaram em cerca de mil milhões de dólares, pela primeira vez.

A receita da unidade “Dispositivos e Licenciamento no Consumo”, a qual inclui as vendas OEM do Windows e das suites de Office, caíram 25%, para 4,17 mil milhões de dólares. As margens daquela unidade caíram 22%.

As licenças vendidas a um preço mais reduzido para clientes académicos levaram as receitas do Windows OEM Pro a caírem 13%, disse a empresa. As receitas de licenças não-Pro fizeram os ganhos regredir 13% também.

Os executivos da empresa preferiram destacar os aspectos positivos: as receitas da unidade “Dispositivos e Consumidor Outros”, onde se inclui o negócio do tablet Surface, cresceu 30%, para 2,44 mil milhões de dólares.

As vendas do dispositivo resultaram em cerca de mil milhões de dólares, pela primeira vez. E as vendas do segmento “Comercial Outro” de cloud mais do que duplicaram, para 900 milhões de dólares.

O número de utilizadores domésticos do Office 365 aumentou para mais de 9,2 milhões, um crescimento perto de 30%, sequencialmente em relação ao trimestre anterior, disse a empresa.

“A Microsoft continua a transformar e a executar segundo as nossas prioridades estratégicas e ampliando a liderança em cloud computing”, declarou o CEO da empresa, Satya Nadella.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado