Portugal Ventures com novos investimentos

A Moodoptic, a Invine e a FollowPrice vão receber financiamento do organismo público, que deverá ficar sem a área de “private equity” até Outubro.

Portugal Ventures_captação do siteA Portugal Ventures seleccionou mais três startups nas quais vai investir: a Moodoptic, a Invine e a FollowPrice. Entretanto, decorre a décima edição da “Call For Entrepreneurship”, revela um comunicado da Portugal Ventures.

A MoodOptic actua no mercado online de comércio de produtos ópticos, tais como óculos graduados, lentes de contacto e óculos de sol. Os preços competitivos, rapidez de entrega e um sistema de apoio ao cliente eficaz são os pilares do projecto que também inclui ferramentas de comércio online para melhorar a experiência de compra.

Com este investimento, a MoodOptic – liderada pelo co-fundador, Nuno Cabral – tem como objectivo aumentar a presença internacional e tornar-se num “player” relevante no mercado europeu.

A Invine procura melhorar a rentabilidade dos restaurantes através de uma tecnologia de optimização de margens, com menus de comida dinâmicos. “Esta tecnologia permite aos restaurantes fazerem a gestão da sua carta de vinhos na cloud, criando um menu digital acessível aos clientes. Assim como os hotéis e companhias de aviação, os restaurantes usam a Invine para desenhar e definir o preço dos seus produtos”, diz o comunicado.

A Invine tem clientes nos EUA, Europa e América Latina. “Estamos focados em tornar inteligentes os menus dos restaurantes e em lançar esta inovação no smartphone de todas as pessoas. Estar em São Francisco, no centro do empreendedorismo, relembra-nos constantemente que as oportunidades são criadas, não encontradas” referiu João Reis, CEO e co-fundador da Invine.

O Followprice é uma plataforma online que oferece aos consumidores uma forma universal e centralizada de seguir baixas de preço e inventário de produtos de diferentes lojas online. Disponibiliza o botão Followprice, que as lojas online poderão mostrar junto aos seus produtos.

Os gestores do Followprice apostam na universalidade do botão (Followprice) para promover maior interacção e torná-lo num gerador de oportunidades de negócio para lojas online.

Os visitantes que nele clicam, sem terem de deixar o contacto à loja, tornam-se seguidores do produto, recebendo os alertas via email ou no Facebook. A universalidade do botão Followprice promoverá uma maior interacção e torna-o num gerador de oportunidades de negócio de alta qualidade para lojas online, esperam os  gestores do negócio.

O co-fundador e CEO, João Almeida Leitão, diz: “temos o objectivo de fazer com que a presença do botão Followprice seja a norma em qualquer loja online do mundo”.

Venda da operação de “private equity” até Outubro

Entretanto, o secretário de Estado da Inovação, Pedro Gonçalves, confirmou ao Diário Económico, que o Governo quer avançar com a venda prevista da operação de “private equity” da Portugal Ventures até Outubro do corrente ano.

A separação das áreas de “private equity” e “venture capital” fazem parte das iniciativas de racionalização dos instrumentos do Estado, ligadas à criação do Banco de Fomento.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado