O Windows ambicionado desde 2012

A Microsoft revela hoje o sistema operativo sucessor do Windows 8, num evento que poderá acompanhar pela Internet. Para alguns, a plataforma sucede ao Windows 7.

screenshot-2-100468029-orig_Windows 10-Mark Hachman_  PCWorld

A mensagem mais importante da Microsoft na apresentação do Windows 10 não será, muito provavelmente, explicitada: o sistema operativo é aquele esperado pelos clientes desde 2012 e deverá fazer esquecer o Windows 8 inteiramente. O evento programado para as 17 horas (em Portugal) desta quarta-feira poderá ser acompanhado através da Internet, em formato de “webcast”.

“O Windows 10 deverá tornar-se na nova norma da empresa [para sistemas operativos], o sucessor do Windows 7, um estatuto que o Windows 8 foi incapaz de atingir,” considera Frank Gillett, da Forrester Research. Para o analista, o sistema operativo permitirá ao fabricante ”manter a sua posição de liderança no segmento dos PC, especialmente no sector empresarial, onde o PC continua a ser uma ferramenta de trabalho fundamental”.

Esse cenário é muito animador, mas contrasta com outro: Gillett é menos optimista quanto à possibilidade de a Microsoft conseguir fazer incursões significativas no segmento da mobilidade, um dos principais objectivos do Windows 8 em primeiro lugar.

“Embora o Windows 10 dê aos programadores a capacidade sem precedentes de desenvolverem, com um único esforço, aplicações capazes de funcionar em PC, tablets e smartphones, não mostra potencial suficiente para uma experiência móvel diferenciada, e que afaste os programadores e consumidores do iOS e do Android “, argumenta Gillett.

No evento de hoje, a Microsoft deverá revelar mais informação sobre o Windows Phone 10, o qual deverá unificar mais ainda a família de sistemas operativos.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado