Mobilidade crítica para o negócio

Crescimento de dispositivos é crescente em empresas porque os novos são adicionados aos existentes. Segurança é factor-chave a ter em consideração.

Ericsson ConsumerLabSete em cada 10 CIOs e CTOs consideram que a mobilidade é crítica para o negócio mas muitos reconhecem que os novos dispositivos não estão a substituir os antigos mas a serem adicionados aos existentes, “o que significa que têm de ser geridos mais dispositivos”.

Os dados do estudo “Business users go mobile“, do Ericsson ConsumerLab para o mercado norte-americano, mostra ainda que tem vindo a aumentar (e precisa de melhorar) a procura por uma melhor cobertura móvel em ambientes interiores.

Mas a mobilidade não é recusada, dado que “apesar de haver um vasto leque de diferentes dispositivos nas empresas, os smartphones geram uma vantagem competitiva na medida em que se está permanentemente disponível para atender chamadas de clientes ou que se tem acesso imediato aos dados da empresa para resolver pedidos de clientes”.

Segundo Anders Erlandsson, do Ericsson ConsumerLab, “a maioria dos decisores está satisfeita com a solução de mobilidade em funcionamento, ao passo que os utilizadores empresariais consideram que existem lacunas na capacidade das empresas para suportar as suas necessidades de mobilidade”.

Em termos de novos dispositivos, “nos dois últimos anos assistiu-se a um aumento de 60% no número de empresas que fornece smartphones aos seus colaboradores. No entanto, estes não substituem dispositivos antigos, uma vez que não existe uma solução ‘all-in-one’ adequada”.

Em paralelo, o estudo revela que a segurança é e será o factor-chave “que as empresas devem ter em consideração. Isto é crucial para que consigam atrair uma geração de colaboradores jovem e talentosa, bem como para aumentar a produtividade e melhorar a eficácia dentro da própria empresa tendo em vista a obtenção de uma vantagem competitiva”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado