Fusão de APDC e APO pode iniciar movimento maior

Racionalização de recursos estará na origem da decisão. A APO será uma secção especializada em outsourcing da APDC.

Rogerio Carapuca_presidente da APDC (DR)

Rogério Carapuça, presidente da APDC

A Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC) e a Associação Portugal Outsourcing (APO) assinaram na semana passada um memorando de entendimento (MoU) com vista à fusão das duas associações. A APO será uma secção especializada em outsourcing da primeira entidade.

“A ideia base para esta união entre a APDC e a APO resulta do facto de as duas organizações terem objectivos semelhantes nas suas respectivas áreas de actividade, bem como um elevado número de associados empresariais comuns”, diz um comunicado das associações. O objectivo será obter uma “maior eficácia e eficiência do movimento associativo nacional na área das TIC e New Media, assim como uma maior racionalização de recursos”.

Para Rogério Carapuça, presidente da APDC, o memorando “insere-se no âmbito de uma das três prioridades definidas pela actual direcção da APDC, que passa por reforçar a força do movimento associativo empresarial do sector”. Segundo o executivo, o objectivo será, “mantendo as especificidades e contribuições de cada associação, estreitar relações e construir parcerias, chegando nalguns casos a eventuais operações de concentração para que a união de esforços se concretize num acréscimo de valor para o sector”.

Para José Carlos Gonçalves, presidente da direcção da APO, “a assinatura do MoU é apenas um primeiro passo, de um caminho ainda a percorrer, do que se pretende que seja a  convergência das associações do sector das TIC, objectivo que percorremos há já alguns anos”. A decisão agora concretizada visa o reforço desses objectivos comuns, potenciando ainda aqueles de cada associação, considera.


Artigo seguinte


Deixe um comentário

O seu email não será publicado