Vodafone é tecnológica mais transparente

Amazon, Google e Apple são as piores tecnológicas em termos de transparência empresarial numa lista de 124 multinacionais.

Transparency International

A Amazon, a Google e a Apple são as empresas tecnológicas com piores resultados no “Transparency in Corporate Reporting“, revelado esta quarta-feira pela organização Transparency International (TI). A Vodafone consegue o melhor resultado.

Nas 15 primeiras empresas tecnológicas e abaixo do índice 4, a Amazon consegue 2.0, seguindo-se depois a Google, Apple, Verizon Communications, Samsung Electronics, IBM, Oracle, Cisco, Canon, Comcast, Microsoft, Intel, Hewlett-Packard, AT&T e Qualcomm, com 3.8.

A Vodafone consegue uma nota de 6.7 – apenas atrás da empresa de energia italiana Eni, com 7.3 – e é considerada a única empresa a ter pelo menos 50% nas três categorias analisadas (programas anti-corrpução, transparência organizacional e relatórios nacionais).

A Amazon, a Apple, a Google e a IBM são ainda referenciadas por “todas falharem em publicar uma lista completa de países onde as suas subsidiárias operam”.

A lista das maiores 124 multinacionais listadas em Bolsa, de 25 países (nenhuma empresa de Portugal é considerada), vale cerca de 11,2 biliões de euros.

Para melhorar a transparência ao nível das empresas a operarem em ambiente multinacional, a TI recomenda que estas proíbam os “pagamentos de facilitação” (subornos), divulguem publicamente as doações políticas, bem como a lista de subsidiárias ou outras entidades afiliadas, e os resultados financeiros em cada país onde operam.

Aos governos e reguladores, incentiva a criarem fortes leis e recursos contra a corrupção, obrigarem à divulgação das referidas listas de subsidiárias e também dos resultados financeiros a nível nacional.

Este tipo de informação deve também ser procurado e incentivado pelos investidores, nas suas decisões de investimento, bem como a procurarem melhores normas no “auditing” das contas e exposição ao risco.

Por fim, às organizações civis, a TI aconselha a que procurem que as empresas sejam mais transparentes, que monitorizem, analisem e divulguem informação empresarial pública e promovam a adopção da divulgação financeira a nível nacional.

Indice TI




Deixe um comentário

O seu email não será publicado