Escassez de programadores incide na eHealth

Para resolver a crise de recursos humanos na área é necessária mais educação tecnológica é necessária na escolas primárias, defendeu Colin Reid, da TotalMobile, num evento sobre área da saúde.

Dispositivo futurístico de saúde, da Sharp (DR)_Martyn Williams

A falta de recursos humanos para programação de software extravasa fronteiras e destaca-se especialmente no campo da eHealth, sublinharam vários oradores na EU-U.S. eHealth Marketplace and Conference, em Boston. Mary Cleary, vice-CEO da Computer Society da Irlanda lembrou que o problema tem impacto não só nessa área mas também na economia global.

A tecnologia pode ajudar a melhorar os cuidados de saúde mas há falta de programadores para criar as aplicações necessárias, considerou Colin Reid, presidente da TotalMobile, empresa dedicada ao desenvolvimento de software de mobilidade, sedeada em Belfast. “É uma questão demasiado importante para ser deixada à gestão de recursos humanos. É um assunto de negócios”, defendeu Reid.

O responsável acrescenta que a indústria de tecnologia carece de trabalhadores do sexo feminino e pode melhorar os seus esforços para abordar jovens carenciados, possivelmente interessados ​numa carreira de desenvolvimento de software. Para aumentar o interesse das pessoas nas profissões associadas à programação, a TotalMobile patrocina a representação em Belfast, da Women Who Code, organização global sem fins lucrativos, focada no objectivo de aumentar o número de mulheres nas TI.

A empresa suporta também a CoderDojo, gestora de clubes de programação para crianças e adolescentes. Envolver as crianças na programação é especialmente importante e os governos podem desempenhar um papel relevante no desenvolvimento desse interesse, disseram os participantes na conferência.

Reid defende a introdução de curos de programação no começo da formação pessoal

O executivo observou que as crianças adoram as aulas relacionadas com tecnologia na escola, mas não mostram o mesmo entusiasmo para aprender a programar. Atrair crianças para a programação, conforme envelhecem é um desafio, porque tendem a evitar a disciplina, por não a entenderem, alertou.

Os governos, defende, podema resolver este problema adicionando cursos de programação no início do processo de educação.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado