Twitter investe em laboratório do MIT

O Laboratory for Social Machines (LSM) terá também acesso aos arquivos da empresa e ao fluxo de mensagens da rede social, em tempo real. O investimento é de dez milhões de dólares.

MIT_Media_Lab_Knight_Foundation (cc)

O Laboratory for Social Machines (LSM) terá também acesso aos arquivos da empresa e ao fluxo de mensagens da rede social, em tempo real. O investimento é de dez milhões de dólares. A Twitter vai investir num laboratório do MIT para desenvolver plataformas de colaboração online para pessoas dedicadas a questões cívicas e políticas.

O Laboratory for Social Machines (LSM), instituído pelo Media Lab, terá acesso em tempo real ao fluxo público de mensagens da rede social, assim como aos arquivos da empresa ‒ que remontam ao primeiro tweet na rede social ‒ anunciou o MIT.

As redes digitais descentralizadas têm sido mais adequadas para romper antigas hierarquias sociais e políticas, do que o desenvolvimento de estruturas para substituir as segundas, de acordo com o MIT Media Lab. O laboratório vai procurar explorar o potencial das redes sociais “para refazer a esfera pública”.

O MIT vai rastrear os tweets procurando padrões e ligações, usando técnicas como a análise de conteúdos.

Assim, deverá fornecer ferramentas para instituições e indivíduos colaborarem em problemas sociais, acrescentou o MIT. Os dados do Twitter serão fornecidos pelo fornecedor de análise de dados, Gnip, adquirido em Abril pela gestora da rede social.

A empresa tem analisando e vendido a torrente de dados obtida da referida plataforma. O MIT vai rastrear os tweets procurando padrões e ligações, usando técnicas como a análise de conteúdos, em larga escala, obtido a partir de contextos do mundo real.

Deverá investigar também padrões de interacção em sistemas de redes sociais relevantes. A empresa de rede social lançou em Fevereiro um projecto-piloto chamado Twitter Data Grants através do qual fornecerá os seus dados para instituições de investigação seleccionadas.

No âmbito do programa, tem apoiado uma variedade de projectos e o estudo da eficácia das campanhas nas redes sociais para a detecção precoce de câncro, usando dados da Twitter.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado