Sete empresas portuguesas de TICE no WCIT 2014

JP Inspiring Knowledge, I2S, ITPEERS, Neologica, Microio, TIMWE e Controlar vão estar presentes no Congresso Mundial de TI a realizar no México, entre 29 e Setembro e 1 de Outubro.

WCIT 2014 (DR)O pavilhão português no Congresso Mundial de TI (WCIT 2014) vai ter a presença de sete empresas do sector de TICE. JP Inspiring Knowledge, I2S, ITPEERS, Neologica, Microio, TIMWE e Controlar foram as empresas que responderam ao desafio da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Mexicana (CCILM). A participação na feira que se vai realizar na cidade mexicana de Guadalajara, entre 29 e Setembro e 1 de Outubro, decorre no âmbito do “Portugal Connect”, um projecto conjunto de internacionalização, cujo objectivo é promover a tecnologia nacional no México.

As empresa vão procurar mostrar a sua oferta de produtos e serviços mais inovadores, mas também detectar e aproveitar oportunidades negócio nesta feira mundial, realizada de dois em dois anos. Na edição do corrente ano o certame deverá ter cerca de 50 expositores, a presença de 60 países e 100 oradores, incluindo dois portugueses. Esperam-se mais de 3000 congressistas.

Além da presença no pavilhão português, as organizações portuguesas presentes terão o apoio da CCILM num roteiro de actividades promocionais dos seus produtos, de reuniões de negócios com outras empresas e de contactos com diversos organismos institucionais, já previamente estabelecidos, adiantou o coordenador do “Portugal Connect”, Pedro Nuno Neto. No México, Portugal vai procurar ter uma “afirmação importante sobretudo na área das tecnologias de educação”, acrescentou.

Assim, no espaço reservado à delegação portuguesa estará instalada uma escola digital, a “Pop-Up School JP” da JP Inspiring Knowledge, a empresa de Matosinhos mais conhecida por JP Sá Couto, onde estarão em exposição os computadores Magalhães e quadros interactivos. Depois, a empresa Controlar irá também revelar as suas soluções para a indústria electrónica, a i2s mostrará o seu software de gestão integrada para seguradoras, a Microio apresentará soluções de software e hardware de gestão de identidades, e a ITPEERS oferecerá serviços especializados de otimização, virtualização, cloud computing e continuidade de negócios.

A missão empresarial representa a primeira do genéro, associada ao Portugal Connect, no México, estando previstas mais três até Março de 2015, com passagem pela Cidade do México, Veracruz e Monterrey.

Adesão abaixo do objectivo

Apesar da representatividade e relevância da delegação portuguesa, esta fica um pouco aquém dos objectivos ou expectativas iniciais do Portugal Connect para esta feira. Na apresentação deste projecto em Março último, os responsáveis do Portugal Connect apontavam para um mínimo de dez empresas, o número mínimo imposto pelo Programa Compete (QREN) para financiar o Portugal Connect México Technology 2014 ‒ o nome dado pela CCILM à iniciativa.

Na altura, e segundo a CCILM, três empresas tinham formalizado a adesão ao programa e outras três revelaram a intenção de o fazer “em breve” (o prazo era final de Março). A organização dizia aceitar propostas para uma só missão (prevista para Março e Junho, ou mais tarde) ou feira.

Não foi atingida a meta das dez adesões, para obter a co-participação do QREN.

O investimento mínimo na presença é de 3600 euros, sendo co-participado pelo QREN em 45% no caso das missões e 75% no caso da Feira. Não foram adiantadas explicações para o facto de não ter sido atingida a meta das dez adesões, número mínimo para o QREN co-participar.

Recorde-se que este projecto tinha como condições de elegibilidade de financiamento o facto de as empresas terem sede social fora da região de Lisboa e do Algarve ‒ por imposição das regras comunitárias ‒ serem PME, cumprirem o rácio de autonomia financeira de 15% e não apresentarem dívidas fiscais. Das empresas integradas na delegação, pelo menos duas – JP e TIMWE – não são PME.

Além do apoio de co-financiamento do QREN, e do investimento da própria CCILM, este projecto envolve ainda o suporte da COMCE (Consejo Empresarial Mexicano de Comercio Exterior, Inversion y Tecnologia, A.C.), Embaixada de Portugal, Delegação da AICEP. EuroCentro Mex, a Comunidade Portuguesa e a Promexico (a “AICEP mexicana”).




Deixe um comentário

O seu email não será publicado