Stanford desenvolve rádio para a IoT

O dispositivo deverá ter custos de produção muito baixos e obtém a energia necessária para funcionar a partir de campos de rádio nas suas proximidades.

0911-stanford-1_por Amin Arbabian_Stanford University (DR)Um grupo de engenheiros da Universidade de Stanford desenvolveu um rádio com poucos milímetros de dimensão e com custos previstos de produção muito baixos. As suas características permitem destacá-lo como um dispositivo capaz de ajudar a concretizar a “Internet das coisas”ou Internet of Things (IoT).

O rádio é montado numa peça de silício e várias dezenas deles podem caber numa moeda de um cêntimo de dólar dos EUA. Deverá custar apenas alguns cêntimos a fabricar, em quantidades maciças.

Parte do segredo para o tamanho do rádio é o facto de prescindir de uma bateria. Os seus requisitos de energia são muito baixos e sendo-lhe  suficiente recolher energia a partir de campos de rádio nas proximidades. Pode fazê-lo quando se aproxima o dispositivo de leitura de dados.

As etiquetas de RFID e cartões inteligentes de comunicação sem contacto mecânico conseguem fazer o mesmo, extraindo a energia a partir de uma fonte de rádio. Mas o dispositivo de Stanford tem mais poder de processamento, defende um representante da universidade.

Isso significa que pode consultar um sensor para obter dados, por exemplo, e transmiti-los quando necessário. O rádio funciona na banda dos 24GHz e 60GHz, adequadas para comunicações em algumas dezenas de centímetros.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado