Google convoca programadores para o “Project Tango”

A empresa procura seduzir programadores para o desenvolvimento de aplicações num dispositivo capaz de proporcionar visualizações em 3D.

Tablet Project TangoA Google revelou um tablet experimental, denominado “Project Tango” capaz de suportar aplicações avançadas de imagem, procurando atrair a comunidade de programadores para desenvolver soluções baseadas no dispositivo.

Na última quinta-feira, a empresa explicou que os interessados ​​na iniciativa pode começar a usar o suporte de desenvolvimento “Project Tango Tablet Development Kit”, o qual inclui um tablet com câmaras especializadas no rastreio de movimento em 3-D. Uma notícia anterior estimava que a Google estava a preparar cerca de quatro mil protótipos, capazes de auxiliar operações de mapeamento do interior de edifícios e outros espaços.

Os programadores poderão inscrever-se para ser notificada quando o dispositivo começar a ser vendido no final de 2014, nos EUA, por 1024 dólares. “Estes kits de desenvolvimento forma projectados para programadores profissionais interessados ​​em explorar o futuro da percepção [artificial] 3D”, explica a Google.

O suporte será disponibilizado em quantidades limitadas e os programadores deverão receber actualizações conforme os algoritmos de software e as API(interfaces de programação de aplicativos) evoluem. Os objectivos associados ao “Project Tango” passam por desenvolver um dispositivo de mobilidade preparado para usar sensores de imagem avançados que proporcionem uma visão próxima dos humanos.

Em Fevereiro passado, a Google anunciou um protótipo de smartphone Android, cujo desenvolvimento constitui parte da mesma iniciativa.

Os GPS de smartphones muitas vezes não funcionam correctamente no interior de prédios. As possíveis aplicações para a nova tecnologia da Google podem incluir o mapeamento de produtos dentro de lojas, a definição/visualização de planos de arquitectura em 3D, ou guias melhorados para pessoas com deficiência visual.

Alguns smartphones Tango são mesmo destinados para a exploração espacial, num projecto da NASA que envolve a utilização de robôs. O tablet consegue suportar aplicações semelhantes ou talvez experiências mais imersivas relacionadas com videojogos.

O dispositivo de 7 polegadas funciona com um processador NVIDIA Tegra K1 e usufrui de 4GB de RAM, 128 GB de armazenamento, Wi-Fi, Bluetooth Low Energy (BLTE) e 4G LTE. O que a diferencia, porém, são as câmaras especializadas e a capacidade “integrada de detecção de profundidade” para captar a geometria de um ambiente.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado