Falhas na contagem de votos electrónicos belgas

Um erro de software levou a resultados eleitorais incoerentes na Bélgica, obrigando à suspensão da contagem, revelou o governo.

Bélgica_WikipediaUma falha de software numa aplicação de voto electrónico suspendeu a publicação dos resultados das eleições europeias, federais e regionais na Bélgica, revelou o Ministério do Interior do país,esta segunda-feira.

Os problemas ocorreram na contagem de votos realizada em máquinas de votação mais antigas, em cerca de 20 dos 209 cantões belgas, segundo o ministério. Os sistemas em causa são PC de arquitectura x86 e tecnologia DOS, com duas portas de série, uma porta paralela, 1MB de memória RAM e um disco de 3,5 polegadas, usado para carregar o software de votação.

Uma falha no software de votação utilizado nas sedes dos cantões, onde os votos são contados, causaram resultados “incoerentes” nas eleições, quando se tentou somar votos preferenciais nas referidas máquinas, disse o porta-voz do ministério, Peter Grouwels. A aplicação contou os resultados de diferentes formas, sendo suposto obter o mesmo resultado, o que não estava a acontecer, explicou.

A divulgação dos resultados foi imediatamente interrompida quando isso foi descoberto. A aplicação foi desenvolvida especialmente para estas eleições, foi “testada milhares de vezes”, tendo sido certificada pela PriceWaterhouseCoopers, revelou aquele responsável.

A Bélgica é um dos últimos países europeus ainda a utilizar sistemas de voto electrónico. Na Alemanha, o Tribunal Constitucional Federal proibiu o uso de urnas electrónicas em 2009, porque os resultados das máquinas não eram verificáveis. A Holanda proibiu a prática em 2008, depois de um grupo de activistas ter demonstrado que os dois tipos de urnas electrónicas utilizados podiam ser adulterados.

Há ainda alguns municípios em França que usam as referidas máquinas. A Estónia utiliza um sistema de voto electrónico, pela Internet, cuja segurança vários investigadores colocaram em causa. Desaconselharam mesmo o uso para as eleições europeias.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado