Vodafone Portugal perde 205 mil clientes móveis no primeiro trimestre

Mas investimento em fibra óptica permite crescer e captar mais clientes na banda larga e na rede fixa.

VodafoneA Vodafone desligou 205 mil clientes em Portugal entre 1 de Janeiro e 31 de Março de 2014, a terceira maior perda em clientes da operadora, após Itália e Albânia.

Já nos resultados operacionais, a subsidiária nacional da operadora passou dos 1,15 milhões de euros de receitas em 2013 para 1,09 milhões no ano fiscal terminado a 31 de Março passado. Os lucros operacionais ajustados e o “cash flow” disponível também diminuíram, enquanto o investimento em capital passou de 158,2 milhões de euros para 193,8 milhões ao longo do ano.

Em termos mais gerais, a empresa apresentou prejuízos de 8.097 milhões de euros, citando em comunicado as operações da Alemanha, Espanha, Portugal, República Checa e Roménia por estes maus resultados, derivados também do ambiente macro-económico e da difícil concorrência nos preços.

A região ibérica é ainda citada pelo investimento que está a ser feito na instalação de fibra óptica, com resultados em Portugal, onde o número de clientes de banda larga e o retorno nas linhas fixas “continuaram a crescer”, num mercado muito virado para as ofertas de convergência (triple ou quadruple-play).

O operador registou receitas de quase 47 mil milhões de euros, com o lucro líquido a subir para 72,8 mil milhões de euros, um enorme aumento perante os 806 milhões do ano anterior.

No entanto, este crescimento deveu-se quase inteiramente à venda de 45% da participação da Vodafone na operadora norte-americana Verizon Wireless. A empresa também registou um lucro líquido nas suas operações de 13,8 mil milhões de euros, que vieram principalmente de créditos tributários.

A venda da quota na Verizon Wireless deixa a Vodafone mais dependente das suas participações europeias, em que o desempenho permanece fraco. A receita da Vodafone para melhorar a sua sorte depende das perspectivas de crescimento nos dados, mercados emergentes, comunicações unificadas e serviços convergentes, segundo afirma a operadora. Na Europa, as aquisições da maior operadora de TV por cabo da Alemanha, Kabel Deutschland, e da operadora de cabo espanhola Ono permitem à Vodafone uma oferta de banda larga móvel e fixa e de serviços de televisão.

A penetração dos smartphones na Europa cresceu 7 pontos percentuais ano-a-ano para 45%, e a experiência inicial no 4G mostra que os clientes utilizam cerca do dobro dos dados em comparação com o uso de dados em 3G, disse a Vodafone.

(com IDGNS)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado