Nova aproximação aos “smartwatches”

Novos desenvolvimentos abrem inovadoras possibilidades no interface de utilizador.

Smartwatch - Chris Harrison_Carnegie Mellon UniversityInvestigadores da Carnegie Mellon University desenvolveram um protótipo de “smartwatch” que expande as possibilidades de interface de utilizador com um ecrã táctil que pode ser rodado.

Em vez de apenas tocar no ecrã táctil, falar ou usar botões, os utilizadores podem manipular o dispositivo do protótipo para interagir com o ecrã de várias maneiras.

Mostrado na ACM CHI Conference on Human Factors in Computing Systems em Toronto (Canadá), o protótipo está a ser anunciado como uma maneira de superar os pequenos factores de forma e de limitações no contacto com os actuais “smartwatches”, libertando o seu potencial de computação.

Os utilizadores podem mexer, deslocar em duas dimensões, inclinar ou clicar no ecrã do protótipo, bem como utilizar as funções convencionais de “scrolling” ou os botões.

Uma demonstração em vídeo também mostra como o protótipo pode ser usado para jogar “Doom”, com os movimentos a servirem de controlos.

Os investigadores estão interessados em comercializar a tecnologia mas ainda não têm planos concretos, dizem.

Com a Samsung, Sony e outros grandes fabricantes a quererem transformar os relógios em computadores de pulso, a indústria dos “smartwatches” valia cerca de 700 milhões de dólares em 2013 e deve chegar aos 2,5 mil milhões este ano, segundo a analista Smartwatch Group.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado