Maioria masculina persistente nas startups

As empresas com dois fundadores estão entre aquelas com mais possibilidades de sucesso na entrada para uma plataforma de aceleração de crescimento dos projectos, diz um estudo da F6S.

homens_sxcAs startups de Software as a Service (SaaS) com dois fundadores masculinos são das que maior probabilidade têm de serem aceites numa organização de aceleração de negócio, de acordo com um estudo da F6S ‒ plataforma de candidatura aos programas. Os projectos empresariais aceites em plataformas de aceleração têm, em média, 2,3 fundadores. 86,8% são do sexo masculino.

O estudo revela também o grau altamente concorrencial entre essas iniciativas: apenas 3,98% dos 62.262 pedidos feitos sobre a plataforma F6s, entre Fevereiro de 2013 e o mesmo mês de 2014, foram aceites. Segundo a análise, a Europa e os EUA têm alguns dos “aceleradores” mais competitivos, apresentando graus de aceitação de apenas 3,67% e 3,78%, respectivamente.

É um pouco mais fácil de entrar nas plataformas baseadas na Austrália e Nova Zelândia, as quais apresentam taxas de aceitação de 5,38%. As asiáticas aceitaram 5,12% dos candidatos e as da América do Sul 5,09%.

No entanto, as taxas de aceitação variam consideravelmente entre os aceleradores individuais, com alguma aceitação dos candidatos (cerca de um em 244) e outros que aceitam pouco mais de um em cada dois candidatos (55%).

As 10 principais áreas da indústria para startups aceites são:

‒ aplicações de Internet/SaaS, 36%;
‒ mobilidade, 15,3%;
‒ media, 12,4%;
‒ marketing, 12,3%;
‒ eCommerce, 9,2%;
‒ dados e analítica, 8,9%;
‒ publicidade, 8,8%;
‒ redes sociais, 7,6%;
‒ entretenimento, 7,5%;
‒ educação, 6,7%.

Muitos das empresas candidatas falharam várias vezes antes de conseguirem um lugar num programa acelerador. Aquelas aceites fizeram tentativas em 3,34 (média) programas apresentados na F6S. Os projectos recusados candidataram-se, em média, a 1,8 programas.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado