Coinbase nega violação de segurança

Lista de nomes que circula na Internet, incluindo de portugueses, representa apenas uma pequena fracção dos utilizadores do Coinbase, segundo o serviço de Bitcoin.

CoinbaseO Coinbase, serviço de “wallet” de Bitcoins, negou ter sofrido uma violação de segurança mas reconheceu que uma lista de alguns dos seus utilizadores está a circular na Web. A lista, vista pelo Computerworld, foi publicada a 1 de Abril e contém nomes de alguns, poucos, portugueses.

No entanto, e “apesar das especulações nalguns fóruns, não houve violação de dados de nomes ou de e-mails no Coinbase”, diz o serviço no seu blogue. Mas acrescenta que uma lista de nomes de utilizadores e de endereços de e-mail associados ao Coinbase apareceu online.

“Essa lista (cujo tamanho é menos de metade de 1% dos utilizadores do Coinbase) não foi resultado de uma violação de dados no Coinbase”, disse. “Essa lista de e-mails é provavelmente proveniente de outros sites – provavelmente relacionados com o Bitcoin. É claro que não houve violação de dados porque nenhuma outra informação do utilizador é fornecida”.

Um anónimo publicou uma lista de cerca de 2.000 nomes de utilizadores e endereços de e-mail no Pastebin, alegando que é uma “lista parcial” de utilizadores do Coinbase .

“O Coinbase fornece o histórico completo de transacções ao FBI, FinCEN e IRS todos os dias”, escreveu, referindo-se às agências de governo dos EUA, incluindo o Financial Crimes Enforcement Network do Department of Treasury. “Eles estão sob uma ordem amordaçada”.

O serviço baseado em São Francisco não abordou a alegação desta ordem no seu blogue.

(com Computerworld Portugal)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado