Agap2 opta por formar novos recursos humanos

Face à reduzida oferta de candidatos jovens com experiência para trabalhar em projectos de consultoria, a empresa está a procurar capacitar jovens licenciados para fazer parte da sua equipa.

formaçãoA agap2 iniciou a actividade da sua unidade de formação ‒ agap2 Academy ‒ no passado mês de Novembro, com o objetivo de actuar como agente acelerador da experiência e conhecimento de jovens licenciados na área de TI. Com a iniciativa, a empresa procura reforçar os processos de identificação e recrutamento de potenciais colaboradores dotando jovens profissionais das competências para trabalhar em projectos de consultoria na empresa.

Em comunicado, a empresa explica que pretende tornar a sua Academy a ponte entre as instituições de ensino superior e o mercado de trabalho. O programa de formação e certificação em soluções tecnológicas com tem a duração de três meses: a organização prevê que até ao final do ano concluam o processo 25 novos consultores.

Com capacidade para integrar até dez formandos em simultâneo, a agap2 Academy é direccionada para licenciados em TI, com particular interesse na área de desenvolvimento e competências em programação. “O objectivo passa por identificar mão-de-obra qualificada na área de TI, criando a oportunidade para colmatar alguma falta de  experiência e de ritmo de trabalho em jovens licenciados que consideramos especialmente capazes”, segundo Jorge Batista, Diretor Executivo da agap2.

O projecto procura fazer face à escassez de recursos humanos com as competências necessárias. “Entrevistamos 100 a 120 pessoas por semana e, mesmo face a este volume de candidaturas, torna-se difícil encontrar aqueles que serão os próximos consultores da agap2”, diz o responsável. O recrutamento para a Academy é realizado em duas vertentes, mediante o acompanhamento de projetos de final de curso de licenciatura e/ou mestrado e do recrutamento directo, explica o comunicado.

No contacto estabelecido através de instituições de ensino superior a agap2 diz atuar enquanto “conselheira” dos alunos, identificando possíveis consultores numa fase de saída dos alunos  das universidades. “Uma primeira experiência positiva neste âmbito teve já lugar com a parceria desenvolvida com o Instituto Politécnico de Tomar. O processo de seleção é composto por uma avaliação comportamental e técnica efetuada pelos gestores da agap2, com a decisão final a caber aos responsáveis pela área na consultora”, refere o comunicado.

Os três meses de passagem pela Academy possibilitam a formação em tecnologia Microsoft e/ ou Java – a par de formação complementar em línguas no caso de clientes internacionais, com o acompanhamento interno realizado por um gestor de projecto. O conhecimento adquirido é utilizado no desenvolvimento de um projeto para um cliente real da consultora, de que é  exemplo o desenvolvimento e apresentação à Microsoft do software Play One, uma aplicação de agregação de media destinado ao Windows 8, diz o comunicado.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado