Intel associa processadores Xeon E7 v2 à computação “in-memory”

Os Xeon E7-4800 v2 beneficiam da micro-arquitectura Ivy Bridge e serão os processadores para servidores mais rápidos do fabricante até ao momento.

A Intel apresentou um processador com 15 núcleos da família de chips Xeon E7 v2 para servidores, e está a promovê-lo para aplicações de computação “in-memory”.  Os Xeon E7-4800 v2 , baseados na micro-arquitectura Ivy Bridge, serão os processadores para servidores mais rápidos da Intel até o momento.

Deverão equipar máquinas de alta disponibilidade, com 32 sockets ou conectores, que lidam normalmente com aplicações empresariais: base de dados, ferramentas de análise e planeamento de recursos empresariais (ERP).

Aquelas deverão ter um impulso significativo com os novos recursos de produtividade e capacidade de memória de 1,5 TB por socket, promete o fabricante. Os novos chips E7 são duas vezes mais rápido do que seus antecessores lançados no ano passado, disse Diane Bryant, vice-presidente sénior e directora-geral do Data Center Group da Intel.

Esta diz que os chips possibilitarão um aumento de largura de banda da memória  na ordem das duas vezes e meia, face aos antecessores.  Os chips Xeon E7 v2 , cujo nome-código é Ivytown, atingem velocidades de  execução entre 1,4 GHz e 3,8GHz , consumindo  40 watts e 150 watts de potência.

E as suas capacidades de I/O (entrada e saída de dados) foram ampliadas quatro vezes, graças à adição de mais faixas de transferência de dados. São os chips da Intel com mais núcleos e deverão também melhorar a eficiência energética dos servidores, prevê o fabricante.

A concorrente Advanced Micro Devices, tem processadores para servidores x86, com um máximo de 16 núcleos. A mais recente família de processadores da Intel inclui 20 novos chips, equipados com dois a 15 núcleos.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado