Twitter esquiva-se de potencial processo de violação de patentes

A empresa comprou um conjunto de 900 títulos à IBM, por um valor não revelado. Em 2013, a gigante sugeriu à gestora da rede social um processo de negociação sobre três patentes que a última estava a usar indevidamente.

Twitter adquiriu mais de 900 patentes da IBM, numa operação para resolver as reivindicações da IBM sobre infracções da gestora da rede social com o mesmo nome, e relativas ao usos de três patentes. Mas, nem as empresas confirmaram que as patentes em questão estão incluídas, nem revelaram o valor do negócio.

A IBM anunciou na última sexta-feira que a Twitter adquiriu as patentes em Dezembro, mediante um acordo de licenciamento cruzado de patentes. Este abrange outras tecnologias passíveis de serem partilhadas entre as duas empresas.

O acordo deverá permitir à Twitter um processo judicial por infracção de direitos da IBM, um dos maiores detentores de patentes dos EUA com uma carteira activa de cerca de 41 mil registos. “Esta aquisição de patentes da IBM e o acordo de licenciamento proporciona-nos maior protecção da propriedade intelectual e dá-nos liberdade de acção para inovar”, disse Ben Lee , director jurídico para o Twitter.

Quando preparava a sua entrada em bolsa, a Twitter revelou em Novembro, às autoridades de mercado as alegações da IBM. Em vez instaurar um processo a gigante enviou uma carta à gestora da rede social, convidando-a “negociar uma resolução de negócio sobre as alegações”, disse a Twitter.

A IBM terá identificado três patentes na carta:
– de recuperação eficiente de localizadores uniformes de recursos;
– de apresentação de publicidade num serviço interactivo;
– de descoberta programática de contactos comuns.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado