Tendências no Business Intelligence

A QlikTech aponta as principais tendências que podem levar o Business Discovery para mais organizações.

As tendências fundamentais para o sector de Business Intelligence (BI) em 2014 poderão permitir a este sector “continuar a crescer, sendo uma das ferramentas-chave para as empresas no momento de tomada de decisões de negócio”, como explica a QlikTech em comunicado:
1. Interação humana e informática (humanização tecnológica): as barreiras entre as pessoas e as tecnologias estão a desvanecer cada vez mais, sobretudo com o crescimento dos dispositivos tácteis. Até hoje, temos falado da “consumerização de TI”, mas, neste momento, estamos a evoluir para uma nova fase – a “humanização tecnológica”. Isto significa que a tecnologia vai ser construída tendo em conta a forma natural com que os seres humanos a utilizam e não a condicionar a forma como interagimos com esta.

Devido às mudanças nos mercados e ao elevado volume de dados que têm de gerir, as empresas precisam cada vez mais de analisar os seus dados com rapidez e eficiência, de modo a serem mais produtivas e competitivas. Nesse sentido, as soluções de BI vão fornecer aos utilizadores a interação e exploração natural dos dados e informação de que necessitam nos seus departamentos e organizações.

Os utilizadores não pretendem ver os dados apenas em relatórios estáticos, mas sim sentir e interagir com os mesmos. Querem usá-los para construir um projeto, persuadir os outros na tomada de decisões conjuntas apresentando factos sustentáveis. Esta interação não tem barreiras, o que nos permite aceder aos dados em qualquer lugar, a partir de qualquer dispositivo. As soluções de BI vão capacitar os utilizadores para explorar os seus dados e descobrir informações escondidas, de uma forma natural.

2. Desenvolver e acelerar o boom dos dados: com as enormes quantidades de dados disponíveis, precisamos de uma forma de reduzir o ruído. Temos um acesso sem precedentes à tecnologia e ao armazenamento informático e, cada vez mais, usufruímos de um acesso maior e melhorado a todos os dados, sendo a origem e as características dos mesmos irrelevantes. As plataformas de BI vão adaptar-se a este crescimento dos dados e fornecer soluções que podem analisar informação proveniente de múltiplas fontes, para oferecer um contexto mais aprofundado na tomada de decisões.

3. Aumento da disponibilização de informação: uma nova geração que cresceu no meio da tecnologia está a ser integrada no mundo empresarial e as suas expectativas são diferentes em comparação com as gerações anteriores. Esta nova geração de colaboradores tem crescido com a Internet e é menos passiva face aos dados. Leva os seus próprios dispositivos onde quer que vá e espera que seja fácil juntar os dados, comunicar e colaborar com os seus parceiros. As soluções de BI vão dar a todos os utilizadores – desde a gestão de topo às equipas das diferentes áreas de negócio – a possibilidade de criar os seus próprios modelos de análise de dados, permitindo-lhes identificar tendências e obter conhecimentos que de outra forma não teriam encontrado.

4. A evolução e a elevação do papel das TI: todos temos lido sobre a mudança do papel das TI. A maioria dos CIO interroga-se sobre o que fazer para impulsionar a inovação, tornando a empresa mais activa na utilização dos dados, o que vai potenciar a procura de ferramentas de BI. O foco estará em plataformas de BI úteis e práticas para fornecer aplicações ou soluções analíticas intuitivas e fáceis de utilizar.

5. Diferenciar-se através da exploração da informação: à medida que o tempo passa, muda também a diferenciação entre empresas. Hoje em dia, as empresas distinguem-se com base na informação. As aplicações de BI vão ajudá-las a aceder a dados que necessitam para se distinguir da concorrência. Já não se trata apenas de ter os dados, mas sim de ter os dados corretos.

6. Necessidade de velocidade e agilidade: para obter o máximo de retorno da informação, a análise deve ser realizada de acordo com a velocidade que as pessoas necessitam. As coisas estão a ficar mais rápidas e, por isso, as ferramentas de BI vão ter cada vez mais a capacidade para responder à procura de velocidade e de agilidade.

7. Transformação das análises: o negócio das empresas avança rapidamente e a sua aproximação à informação também. Já não vale a pena reportar algo que tenha acontecido no passado, mas sim entender e acompanhar o que está a acontecer no momento. Tal requer uma mudança no BI para ligar as coisas que aparentemente não têm relação e descobrir informações ocultas nos dados para ajudar a antecipar ou até mesmo prever o que vai acontecer. A próxima geração de BI foca-se em permitir uma tomada de decisão melhor e mais natural.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado