IBM com nova unidade de negócios para explorar o Watson

O recém-formado Watson Business Group ficará sedeado em Nova Iorque e oferecerá sistemas de computação cognitiva e serviços. Tem cem mil dólares para investir em startups.

A IBM está a procurar comercializar cada vez mais a sua tecnologia de computação cognitiva sob a marca Watson, e criou uma nova unidade de negócios em torna dela. Lançou também dois novos serviços derivados da plataforma tecnológica.

A nova divisão da IBM , chamada Business Group Watson, vai desenvolver e executar aplicações e serviços cognitivos baseados em cloud computing em nome de clientes empresariais. O fabricante quer investir mil milhões de dólares no grupo. Cem mil dólares destinam-se ao investimento em startups interessadas em criar aplicações a correrem na plataforma Watson Developer.

Michael Rhodin , que mais recentemente teve funções como vice-presidente sénior para as soluções IBM Software Group, vai liderar a divisão Watson. A nova unidade de negócios será composta por dois mil profissionais da IBM e ficará sedeada em Manhattan, no distrito de “Silicon Alley” , na cidade de Nova Iorque (EUA).

A empresa implantou a tecnologia Watson como um serviço em cloud computing que as empresas podem usar para resolver problemas complexos. A plataforma consegue formular respostas a perguntas específicas, utilizando uma gama de fontes de informação em vários formatos. Aperfeiçoa as suas respostas aprendendo a formular as melhores respostas em processos de tentativa e erro.

Por exemplo, a empresa montou sistemas Watson, para servir como assistentes virtuais em auxílio a médicos no diagnóstico de problemas de saúde. Outros procuram ajudar as empresas de retalho a interagirem de forma mais eficaz com os seus clientes. Tanto a empresa de análise de media Nielsen e como o Royal Bank of Canada usam já os serviços baseados no Watson .

No ano passado , a empresa também lançou o Watson Ecossystem, uma plataforma de desenvolvimento que permite às empresas e empresários construírem as suas próprias aplicações de computação cognitiva.

 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado