BT acusada de disseminar “backdoors” e Schneier sai

Um documento publicado online detalha como, alegadamente, o operador colabora com a GCHQ e a NSA. O especialista em segurança da empresa, Bruce Schneier, deverá sair no final de Dezembro.

O operador britânico, BT, fornece à agência de inteligência britânica, Government Communications Headquarters(GCHQ), e à National Security Agency (NSA,  acesso directo aos dados dos clientes através dos modems de Internet que fornece – acusação consta é feita num documento de 50 páginas publicado anonimamente no site Cryptome. Um porta voz do operador revelou que o conhecido especialista em segurança da informação, Bruce Schneier, vai abandonar os quadros da empresa – para a qual trabalha como “futurólogo da segurança” –no final de Dezembro.

O documento com o título “Full Disclosure: A Internet Dark Age “, foi originalmente publicado a 4 de Dezembro e teve actualizações alguns dias mais tarde. Os seus autores mantêm-se anónimos, mas intitulam-se “Os Adversários”.

Dizem ser engenheiros numa empresa que fornece redes para pequenos escritórios e ambientes domésticos, no Reino Unido. O documento publicado revela muitos detalhes sobre a afirmação de que os modems fornecidos pela BT têm “backdoors” ou portas de acesso secretas.

Estas serão passíveis de serem usadas tanto para recolher e enviar dados de cliente directamente para instituições de espionagem no Reino Unido e dos EUA. Podem também ser usadas para as agências atacarem, se necessário os clientes.

O porta-voz da BT, Kris Kozamchak , chefe da BT Global Services , não quis comentar sobre o conteúdo do documento, mas ainda declarou: ” Estamos em conformidade com a lei, onde quer funcionamos e não divulgar os dados de clientes em qualquer jurisdição, a menos que legalmente obrigados a fazê-lo”.

Um crítico ferrenho

Desde as revelações do antigo consultor da NSA, Edward Snowden, Schneier mostrou-se um opositor ferrenho da vigilância em massa exercida por agências governamentais, com alegado recurso a “backdoors”, enfraquecimento de cifras. Os comentários de Schneier sobre a NSA surgiram com frequência na Internet.

O especialista não esteve contactável para falar sobre a sua saída.
Government Communications Headquarters




Deixe um comentário

O seu email não será publicado