2,35 milhões para o Madeira-ITI

Um projecto do instituto centrado nas interacções homem-computador (HCI) e inovação pelo desenho será financiado por uma bolsa concedida no âmbito da iniciativa Cátedras do Espaço Europeu de Investigação (EEI) da FCT.

O projeto Leapfrog HCI-DI do Madeira-ITI recebeu uma bolsa de 2,35 milhões de euros, da iniciativa Cátedras do Espaço Europeu de Investigação (EEI), no âmbito da fase piloto do programa Horizon 2020. Com enfoque nas áreas de interacção homem-computador (HCI) e inovação pelo desenho (DI), integra o lote dos primeiros projectos seleccionados, para um período de quatro anos.

“Com um orçamento de 12 milhões de euros proveniente do 7º Programa-Quadro de Investigação (2007-2013), a fase-piloto das Cátedras EEI atribui cátedras de investigação de alto nível – apenas uma por país. O seu objectivo é promover a excelência na investigação nos Estados-membros da União Europeia (UE), e reduzir as fronteiras na investigação e na inovação na Europa através do apoio a iniciativas em regiões menos desenvolvidas”, lembra um comunicado da organização do Programa Carnegie Mellon Portugal.

Segundo Nuno Nunes, presidente do Madeira-ITI e director científico do Programa Carnegie Mellon Portugal, este financiamento vai permitir “expandir e maximizar o potencial do Instituto, nomeadamente na investigação interdisciplinar em tecnologias interactivas, para reforçar a inovação e a transferência de tecnologia e de conhecimento, em estreita colaboração com parceiros empresariais locais e globais”.

Com ingredientes de inovação aberta e crowdsourcing

De acordo com um comunicado, o projecto Leapfrog HCI-DI tem como um dos seus objectivos promover a criação de massa crítica de investigadores com experiência interdisciplinar em HCI. Outro é melhorar o potencial de inovação do Madeira-ITI e o seu impacto à escala regional, nacional e europeia, através da aposta na inovação pelo desenho.

“Através desta abordagem será possível demonstrar de forma transversal o impacto da inovação aberta e do crowdsourcing, ampliar as capacidades de investigação criativa, e contribuir para o posicionamento do Madeira-ITI à escala internacional”, reforça o responsável. O financiamento atribuído apoiará, além da Cátedra EEI, uma equipa de investigadores, recursos humanos de apoio à equipa, bem como material de laboratório e equipamento.

Neste contexto, Nuno Nunes acrescenta que “desta forma, e assegurando os recursos necessários para consolidar a investigação nas áreas de interacção humano-computador e inovação pelo desenho, assim como a melhor integração nas redes europeias e internacionais, poderemos contribuir enquanto agente activo para a estratégia de especialização inteligente da Região Autónoma da Madeira e para a sua competitividade”, afirma.

Criado a 23 de Julho de 2009 pela Universidade da Madeira, pela Carnegie Mellon University (CMU) e pelo Madeira Tecnopólo, o Madeira-ITI resulta do  programa dual de mestrado em interacção homem-computador, no âmbito do Programa Carnegie Mellon Portugal.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado