Partilha ineficaz de informação gera várias perdas

Executivos de empresas europeias identificam a perda de receitas, de clientes e de conhecimento sobre os mesmos, como principais resultados do problema, de acordo com um estudo da Coleman Parkes Research.

As consequências da partilha ineficaz das informações estão a aumentar entre as organizações europeias, de acordo com o estudo da consultora Coleman Parkes Research, patrocinado pela Ricoh Europe. E quando solicitados para classificar as áreas com maior impacto, os executivos de empresas europeias inquiridos identificam em primeiro lugar a perda de receitas (49%), seguida da perda de clientes (43%) e depois a perda de conhecimento dos clientes (27%).

Associada a esta evolução a consultora prevê que nos próximos cinco anos o número de trabalhadores da informação deverá aumentar substancialmente. Este tipo de funcionários, ou “iWorkers” para a consultora, é caracterizado como sendo “colaboradores de confiança, altamente qualificados e que têm acesso, 24 horas por dia, sete dias por semana, a todas as informações de que necessitam para dar resposta às necessidades da sua empresa e dos seus clientes”.

Actualmente, 4% dos responsáveis europeus classificam a maioria dos seus trabalhadores como “iWorkers”. Mas prevêem um crescimento significativo: 37% afirmam que em 2018 mais de metade dos seus colaboradores serão desse tipo.

Apesar disso, o estudo revela a existência de outros desafios a ultrapassar antes do referido aumento. Cerca de ¾ das empresas europeias estão a investir em novas tecnologias como forma de aumentar a produtividade dos colaboradores dentro e fora do escritório, segundo o estudo.

Mas a maioria destaca a necessidade de reverem os processos existentes para que os colaboradores possam ter mais facilmente acesso a informações importantes. “Mais de 70% acredita que a incapacidade de aceder a documentos a partir de dispositivos móveis está a atrasar as suas empresas, e 2/3 afirmam que funções de pesquisa inadequadas impedem os colaboradores de encontrarem as informações de que necessitam para ajudarem as empresas a avançar”, diz um comunicado sobre o estudo.

E 62% identificam a desarticulação entre silos de informação entre as diferentes áreas do negócio como factor limitador da partilha de informações.

Quatro factores de aceleração

Das respostas dos líderes empresariais, sobre os próximos passos mais importantes para acelerar o surgimento de mais trabalhadores da informação iWorker podem destacar-se quatro:

– a utilização de ferramentas de colaboração: promovendo a colaboração e a partilha de conhecimentos entre diferentes localizações;

– a optimização de processos empresariais: rever a forma como os colaboradores trabalham e garantir que a tecnologia é utilizada de modo a proporcionar o máximo benefício,

– a transição para a cloud (igualmente na segunda posição).

– a digitalização de documentos: que permite garantir um melhor acesso a informações importante para o negócio, tanto actuais como históricas.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado