Facturação da Glintt cai 8%

Nos primeiros nove meses de 2013, o volume de negócios recuou para 62,5 milhões de euros, com a venda de equipamento a cair 22%. A actividade internacional, principal enfoque da empresa, representou 24% da facturação.

O volume de negócios consolidado da Glintt caiu 8% nos primeiros nove meses (face a período homólogo), para 62,5 milhões de euros. A componente de serviços foi a menos afectada tendo regredido 3% para 49,4 milhões de euros. Mas a das vendas recuou 22% para pouco mais de 13,085 milhões, segundo um relatório enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

A empresa conseguiu, apesar disso, registar um aumento de 1% no lucro, o qual ascendeu a 739 mil euros. O negócio realizado em mercados estrangeiros representou 24% da facturação.

Segundo as perspectivas da empresa para 2013 esta parte deverá ser maior do que em 2012. Mesmo registando-se um decréscimo de 5% já revisto pela administração.

No desenvolvimento do seu processo de internacionalização, a empresa pretende:
– consolidar e incrementar a actividade de consultoria em Angola, a par da actividade de infra-estruturas;
– dinamizar a actividade operacional dos escritórios abertos no final de 2011 e 2012 – Glintt Espanha, Glintt Polónia e Glintt Brasil –em especial na área hospitalar;
– prosseguir a aposta de expansão para os países do centro da Europa (Bélgica, França, Alemanha, Suíça e Reino Unido), em especial com serviços de consultoria;
– investir no processo de internacionalização de soluções para farmácia, nomeadamente na venda de mobiliário próprio e da oferta de soluções de desenho e concepção de imagem de Farmácias (Espanha, França e Itália);
– promover soluções ligadas a operadores de telecomunicações.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado