Intel reorganiza-se para a Internet das Coisas

As alterações incluem a criação de um novo grupo de negócio e soluções, através do qual o fabricante pretende abordar o mercado dos pequenos dispositivos electrónicos, a tecnologia de vestir e componentes para o segmento DIY.

A Intel está a dar cada vez mais atenção aos pequenos dispositivos electrónicos, tecnologia de vestir e componentes electrónicos para utilizadores interessados em desenvolver os próprios dispositivos – mercado de “do it yourself” (DIY) ou faça você mesmo. E para isso criou um novo grupo de negócios na sua organização.

O IOT Solutions Group vai gerir o negócio dos chips, como o recém-anunciado processador de baixa potência Quark, o qual deverá equipar dispositivos de vestir, interligados e pequenos computadores voltados para o mercado de DIY. O Quark deverá estar no Galileo PC da Intel, projectado para entusiastas interessados em montar uma série de equipamentos: na área da robótica, na monitorização de saúde, nos centros de média domésticos e até PC.

A divisão vai lidar com o negócio de processadores Atom de baixo consumo, que são instalados em aparelhos ou produtos, como máquinas de venda automática, caixas electrónicos, dispositivos médicos portáteis, monitores de energia ou sistemas de entretenimento em veículos. O grupo também se encarregará de fornecer software produzido por unidades como a Wind River Systems, usado por chips tanto em servidores como em dispositivos mais pequenos.

O mercado dos chips embutidos ou incorporados é um sector em rápido crescimento, com a proliferação da tecnologia de vestir, pequenos dispositivos electrónicos e sensores. A ARM anunciou já muitos processadores e chips para o mercado da Internet das Coisas – na qual mais dispositivos funcionarão como instrumentos de recolha de dados.

Antes a Intel anunciara a criação do New Devices Group, focado na avaliação de oportunidades no mercado da tecnologia de vestir. “Reunir os elementos de hardware para sistemas inteligentes, o software, os serviços e as plataformas num só grupo permitir-nos-á oferecer mais valor acrescentado aos nossos clientes”, explica Krystal Temple, um porta-voz da Intel.

(Agam Shah, IDG News Service Nova Iorque)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado