Outsourcing representa 30% do negócio da Xerox Portugal

O fabricante procura posicionar a oferta desses serviços como forma de financiamento das PME.

Perto de 60% do negócio da Xerox em Portugal é realizado no tecido empresarial composto por PME, revelou Pedro Quintela, director-geral da empresa para o mercado português. Num contexto em que essas organizações se debatem com várias dificuldades financeiras, o fabricante está a reforçar o posicionamento da oferta de outsourcing de impressão e aluguer operacional, como meio de financiamento.

À margem de um evento para aquele efeito, o responsável revelou para o Computerworld que cerca de 30% do volume de negócios da organização no mercado português é referente a essa actividade de externalização. E face à facturação de 2012 deverá crescer durante o corrente ano, 3 a 4%.

O responsável salienta o papel dos parceiros no contacto com o cliente e na gestão da relação com o mesmo. O centro de serviços globais também serve o canal de Portugal “como back-office”, além  dos mais 15 países.

Pedro Quintela voltou a apontar a legislação portuguesa como entrave ao desenvolvimento do mercado português de outsourcing – ao não permitir que a administração pública estabeleça contratos plurianuais com fornecedores.

60% das PME europeias querem reduzir utilização de papel

Citando dados da consultora Quocirca, o gestor do programa de serviços de impressão da Xerox, Marcos Lessa diz que 60% das PME na Europa pretende reduzir o uso de papel, nas suas actividades. Para isso estão a impor regras para a impressão de documentos, regimes de impressão (“pull printing”) nos quais os documentos são retidos me servidor e só são impressos mediante autenticação do utilizador na máquina.

Também estão a investir, segundo a consultora em gestão e sistemas de fluxo documental. De acordo com o responsável enquanto o mercado mundial de outsourcing de TI sofre de estagnação, é o de externalização de processos de negócio (Business Processo Outsourcing – BPO), que está a crescer.

Abordagem do fabricante desenvolve-se em torno de três etapas, sendo a primeira de avaliação da situação e optimização de processos e sistemas. Os serviços envolvem também a segurança dos documentos e integração dos fluxos com outros sistemas existentes, além do suporte a maior automatização e simplificação.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado