Portugal Ventures investe em 12 startups

Através dos programas de “Call for Entrepreneurship”, novos investimentos apoiam empresas de base científica e tecnológica. Próximo passo é Silicon Valley.

A Portugal Ventures investiu em 12 “start-ups” de base tecnológica, através dos seus programas de “Call for Entrepreneurship”.

Os investimentos foram realizados no âmbito da Ignition Partners Network, dinamizado pela empresa de “venture capital”, e a partir de empresas incubadas especialmente pela Startup Lisboa e pelo UPTEC. O financiamento foi liderado pela Portugal Ventures com “Business Angels” privados como a Busy Angels, Invicta Angels e Shilling Capital Partners, entre outras, segundo o comunicado de imprensa.

Com o fim de levar as empresas para o mercado global, a Portugal Ventures revelou também ter-se baseado na comunidade empresarial nestGSV, em Redwood City (na Califórnia, EUA), “onde, com o apoio do parceiro local Leadership Business Consulting, as novas empresas e os seus empreendedores irão ser imersos no ecossistema empresarial único que Silicon Valley pode oferecer”.

As empresas seleccionadas são:
Aptoide: fabricante independente, conta com três milhões de utilizadores activos por mês no Android Apps Marketplace. Fundada em 2009 por Paulo Trezentos, actual CEO.

Coimbra Genomics: desenvolvimento e comercialização de ferramentas clínicas de suporte à decisão.

Delta One Therapeutics (DOT): empresa de biotecnologia com tartamentos personalizados para cancro e doenças virais crónicas. O CEO é Diogo Anjos.

G3P: solução integrada de gestão de dinheiro, para PMEs. Segundo Pedro Gordo, CEO e co-fundador, a empresa pretende entrar nos mercados dos EUA e Índia, onde já assinou um memorando de entendimento com uma empresa local.

Gleam: plataforma agregadora para o mundo da moda. Lançada em Março passado como serviço móvel, tem utilizadores em 50 países. Alexandre Barbosa é o CEO.

Inpakt: motor de gestão de negócios, de doações e de comunidades para organizações não-governamentais. “Queremos ser a rede global socialmente responsável”, diz Bernardo Macedo, CEO e co-fundador.

Mediaomics: empresa de biotecnologia, gerida por Rui Oliveira.

RDFixer: sistema de visualização e correcção de imagens em endoscopia médica, uma “tecnologia que abre possibilidades excitantes e futuras oportunidades de negócio”, segundo João Barreto, CEO da Perceive3D.

TREAT U: desenvolvimento de plataformas de nanotecnologia para medicação na área oncológica. A CEO é Vera Moura.

Tuizzi: compra, venda e gestão de publicidade exterior com o objectivo de tornar este mercado “mais transparente e simples”, segundo o seu CEO e co-fundador, Afonso Santos.

YoubeQ: plataforma para comunicação com geo-localização em tempo real, conta com mais de 100 mil registos, sendo a China, Brasil, EUA, Rússia e Portugal os países com mais utilizadores.

Zaask: “marketplace” online de serviços locais, para “encontrar o talento certo para o emprego certo”. Segundo os fundadores, Luis Martins e Kiruba Eswaran, o novo investimento servirá para acelerar a sua entrada em novos mercados europeus.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado