Microsoft vai adquirir negócio de telefonia móvel da Nokia

O fabricante finlandês deverá concentrar-se na produção de equipamento de infra-estrutura, em serviços de mapeamento e localização, além do desenvolvimento e licenciamento de tecnologia.

A Microsoft deverá adquirir a unidade de Devices & Services da Nokia, o negócio de smartphones e telemóveis da empresa, e pagar pelo licenciamento de patentes da companhia finlandesa. A transacção deverá ser concretizada por 5,44 mil milhões de euros, em 2014: 3,79 mil milhões de euros por “substancialmente toda” a unidade e 1,65 mil milhões pelas patentes.

O CEO da Nokia Stephen Elop voltará para os quadros da Microsoft e vai liderar uma equipa reforçada e focada em dispositivos de mobilidade, disse o CEO da Microsoft, Steve Ballmer, num e-mail aos funcionários.  “Baseando-se na parceria com a Nokia vigente desde Fevereiro de 2011 e o crescente sucesso do Lumia smartphones da Nokia, a Microsoft pretende acelerar o crescimento da sua participação e lucro nos dispositivos móveis, através de inovação mais rápida, do aumento das sinergias, e da unificação da marca unificada e do marketing”, explica a empresa compradora num comunicado.

A Nokia tem vindo a desenvolver smartphones suportados pelo sistema operativo Windows Phone, da Microsoft, numa tentativa de aumentar a participação nesse mercado, além de focar em telemóveis mais básicos para mercados emergentes. Após a operação, a Nokia planeia concentrar-se no desenvolvimento de infra-estrutura de rede e serviços empresariais denominados NSN: os quais englobam serviços de mapeamento e localização, e a unidade Advanced Technologies, focada no desenvolvimento de tecnologia e licenciamento da mesma.

Deverá manter a marca Nokia, mas vai licenciar o uso da mesma à Microsoft por um período de 10 anos de uso da marca em celulares actuais e alguns telefones posteriormente desenvolvidos. Risto Siilasmaa assumirá o cargo de CEO interino da Nokia, continuando a servir também como presidente do conselho da empresa.

Terá quatro subordinados directos: Michael Halbherr , vice -presidente executivo dos HERE ; Elop como vice- presidente executivo para unidade Devices e Services; Timo Ihamuotila, CFO e presidente interino, e Jesper Ovesen , presidente executivo do conselho de administração NSN , explica a Nokia . A empresa finlandesa vai continuar a ter a sua sede na Finlândia.

Mas cerca de 32 mil pessoas deverão ser transferidas para a Microsoft na conclusão da operação incluindo cerca de 4700 pessoas na Finlândia. A Nokia empregava cerca de 56 mil pessoas no final do segundo trimestre de 2013.

A empresa registou um prejuízo líquido no segundo trimestre, mesmo com as vendas dos seus smartphones Lumia a atingirem os 7,4 milhões de unidades vendidas. As vendas líquidas totalizaram 5,70 mil milhões no trimestre, caindo 24% numa perspectiva anual.

A companhia também reportou um prejuízo líquido de 278 milhões de euros, menor do que a perda de 153 milhões euros, no ano anterior. A Nokia detinha uma quota de 15,8% no mercado de dispositivos de telefonia móvel durante o segundo trimestre: a Samsung Electronics, teve uma quota de 27,7% e a Apple, 8,1%, de acordo com a analista de mercado Strategy Analytics.

Os fabricantes de telemóveis e smartphones que usam do software da Microsoft para os seus dispositivos podem não receber bem a notícia. Estão mais habituados a lidar com essa empresa, como sendo um fornecedor e não como um concorrente.

(João Ribeiro, IDG News Service)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado