Impressoras 3D pagam-se em menos de um ano

Dois mil dólares é a estimativa de poupanças associadas aos dispositivos, calculada pela Michigan Technical University (MTU).

Produzindo os anéis das cortinas de duche, ou o envólucro para o smartphone, uma caixa de jóias ou outros produtos, um proprietário de uma impressora 3D poderá recuperar o investimento no dispositivos, em menos de um ano. É a conclusão de um estudo realizado pela Michigan Technical University (MTU).

A instituição diz ter utilizado números “conservadores” para chegar à estimativa: um utilizador medianamente intensivo poderia poupar até dois dólares por ano, fabricando apenas 20 produtos comuns.

“Pode produzir exactamente o que queremos. Esse é o verdadeiro poder da impressão 3D. A capacidade de produzir os objectos à medida abaixo do preço de mercado praticado por fabricantes na China”, diz Joshua Pearce, um professor associado do departamento de ciência dos materiais e engenharia da MTU.

Outra vantagem da 3D impressão, apontada por Pearce é a capacidade de personalização para os objectos. O estudo revela também que as impressoras 3D podem recuperar investimento e ainda ter libertar lucro, sendo usadas para fabricar as suas próprias peças de reposição.

O estudo teve em conta os custos de transporte e impostos, mas também considerou uma taxa de 20% de situações de falha nas impressoras, nas quais os trabalhos de impressão teriam de ser reiniciados.

Para que a tecnologia de impressão 3D proliferar como as impressoras a laser ou a jactos de tinta, devem ser economicamente viáveis para uma família típica. Pearce diz que as impressoras 3D deverão conseguir isso facilmente.

(Lucas Mearian, Computerworld)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado