Versões mais recentes do LTE vão avançar rapidamente

A maioria dos utilizadores de comunicações móveis LTE estará em 2018 a usar normas TD-LTE e LTE-Advanced, diz a ABI Research

Tecnologias emergentes para redes de 4G sobre LTE deverão fazer rápidos avanços nos mercados ao longo dos próximos anos, ajudando redes móveis acompanhar o crescimento de dados – prevê a ABI Research. Vão agregar mais utilizadores em todo para as comunicações sobre a tecnologia.

Em 2018, a maioria das subscrições de LTE do mundo serão baseadas em redes a funcionarem sobre versão Time-Division LTE (TD LTE) ou com características da norma LTE-Advanced emergente, segundo a consultora.

Os operadores móveis ainda estarão a expandir a sua infra-estrutura baseada em Frequency-Division LTE, a versão mais antiga do sistema móvel de alta velocidade. Mas as duas tecnologias mais recentes vão demorar pouco a fazer incursões nos mercados, disse o analista da ABI, Nick Marshall.

Em 215, poderão estar a dominar as redes de estações-base de grande potência, disse Marshall. A TD-LTE usa uma faixa de frequências para enviar tráfego de recepção e envio, enquanto a FD-LTE usa faixas separadas, de tamanhos iguais para os dois propósitos.

A TD-LTE torna possível o uso da LTE em países onde vigora o licenciamento de espectro díspar. Também permite que os operadores dediquem maior capacidade de tráfego de recepção, para conteúdos da Internet e vídeo, do para o tráfego de envio, como para o carregamento de fotos.

A LTE-Advanced é um outro nome para a versão 10 do padrão LTE. Inclui opções para agrupar espectro, reduzindo a interferência entre as estações-base e ajudando as torres de grande potência a coordenar células menores usadas em áreas congestionadas.

A versão da tecnologia deverá aumentar significativamente a velocidade da rede, mas também deverá levar à redução de chamadas abandonadas e melhorar a qualidade de serviço para vídeo, recorda Marshall. A actualização também deverá ajudar os operadores a fazerem uma utilização mais eficiente do espectro.

Em 2018, 34% das assinaturas de serviço LTE em todo o mundo serão para redes com tecnologia LTE-Advanced. E outro grupo de 24% para infra-estrutura com TD-LTE, estima a ABI.

Nessa altura, diz Marshall, 42% das assinaturas de LTE ainda estará em redes FD-LTE usando a actual geração de tecnologia – Release 8/9. Haverá um total de cerca de 1,5 mil milhões de subscrições de serviços LTE em todo o mundo, segundo as estimativas da consultora.

(Stephen Lawson, IDG News Service)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado