Reino Unido quer bloquear pornografia na Internet

Primeiro-ministro David Cameron espera problemas com fornecedores do serviço de Internet. Conteúdo seria bloqueado por norma mas utilizadores poderiam pedir acesso.

O Reino Unido vai introduzir novas medidas para levar os fornecedores de serviços de Internet (ISP)  a bloquearem conteúdos pornográficos por norma, sendo que os utilizadores terão de optar se querem visualizar esse tipo de conteúdo.

O primeiro-ministro britânico David Cameron, disse que o acesso livre a pornografia online está “corroendo a infância”, mas admitiu que espera problemas com os ISP por causa da proibição.

As empresas afirmam que bloquear o conteúdo não é algo praticável e que, por uma questão de “liberdade de expressão”, os utilizadores devem poder pesquisar o que quiserem nos motores de busca como o Google ou o Bing, da Microsoft.

Segundo Cameron, esses filtros que bloqueiam conteúdo serão seleccionados automaticamente para todos os novos utilizadores, que terão então a opção de os desactivar. No entanto, milhões de consumidores existentes serão contactados pelos seus ISPs e questionados se querem activar os “filtros amigáveis” para restringir o acesso a material adulto.

Os utilizadores que não clicarem em nenhuma opção – para aceitar ou rejeitar o filtro – terão o conteúdo bloqueado por norma, segundo a BBC.

As ferramentas de buscas também terão até Outubro para introduzirem novas medidas para bloquear conteúdo ilegal. Por exemplo, Cameron ainda vai apresentar novas medidas que classificam certo tipo de pornografia como ilegal.

Além disso, haverá uma base de dados segura de imagens de pornografia infantil bloqueadas e reunidas pela polícia britânica, que serão usadas para monitorizar conteúdo ilegal e pedófilos que as visualizem.

“Não estou a fazer este discurso porque quero ser moralista ou alarmista, mas porque sinto profundamente como político, e como pai, que chegou a hora da acção. Isto é simplesmente sobre como protegemos as nossas crianças e a sua inocência”, afirmou Cameron.
(IDG News Service/IDG Now!)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado