Empregados desvalorizam roubo de propriedade intelectual

50% dos trabalhadores que deixaram um emprego nos últimos 12 meses tem levado consigo dados confidenciais pertencentes à empresa, segundo um estudo do Ponemon Institute. 68% consideram a prática aceitável.

Um estudo realizado pelo Ponemon Institute evidencia que 50% dos trabalhadores que deixa um emprego não considera estar a cometer um delito quando leva dados da empresa consigo. O comportamento e os princípios de muitos funcionários face ao roubo de propriedade intelectual viola a política da maioria das empresas.

De acordo com um trabalho realizado à escala mundial, a pedido da Symantec, 50% dos empregados que deixaram um emprego nos últimos 12 meses tem levado consigo dados confidenciais pertencentes à empresa. No entanto, para as empresas a proteger esse seus dados e informações é essencial desenvolver iniciativas de formação para os funcionários sobre o roubo de propriedade intelectual.

Cerca de 68% dos colaboradores acreditam ser aceitável roubar dados da empresa, já que esta não faz nada para garantir o cumprimento rigoroso das regras sobre esse aspecto. Entre os funcionários demitidos ou em mudança de emprego nos últimos 12 meses, que retiveram as referidas informações confidenciais, 40% planeia usá-los nas suas novas funções.

Além disso, 62% dos empregados assume como aceitável a transferência de ficheiros computadores pessoais, tablets, smartphones ou para aplicações de partilha online. Apenas 38% dizem que o seu supervisor considera a protecção de dados, uma prioridade.

(com IDG.es)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado