Mais vale um CEO “chato”

Os CIO estão a posição privilegiada para se tornarem CEO, segundo, Luís Alvarez, CEO da BT Global Services. “Odeio quando vejo o CIO a reportar ao CFO. A visão de que o CIO pode fornecer a organização é absolutamente única”, diz.

Os CIO estão numa posição privilegiada para se tornarem executivos de negócio, por terem a oportunidade de “compreender a tecnologia e entender os processos de negócio”, disse o CEO da BT Global Services CEO, Luis Alvarez. No seu discurso durante o Economist CIO Forum em Londres, o ex-CIO, disse ainda ser  “melhor ter um CEO ‘chato’ do que um CEO incapaz de entender”, a tecnologia.

Embora Alvarez diga que os CIO estão em posição privilegiada, com oportunidades para subirem nas hierarquias, alerta que um CEO tecnologicamente experiente tem problemas para a organização. “Eu sou um ‘chato’ para o meu CIO”, admite. “Eu tenho uma vantagem, porque eu entendo a tecnologia e os seus desafios, mas também compreender as oportunidades que ela oferece.”

O ex-CIO já trabalhou para a IBM e teve funções de gestão de TI nos bancos espanhóis Santander e Banesto. “É absolutamente verdade que os CIO têm visibilidade sobre as empresas de extremo a extremo.

Das interacções com os clientes, às interacções com os fornecedores à maneira como os processos de negócio funcionam”, considera. “Por isso é que deixei de de ser um CIO para ser um CEO agora. A mudança foi possível porque eu era capaz de entender que seria a tecnologia  a suportar  as novas maneiras de fazer as coisas. Podemos ser disruptivos usando tecnologia”, considera.

Contudo Alvarez manifestou-se frustrado com os canais de comunicação e com as percepções sobre os CIO em algumas organizações. “Devíamos estar orgulhosos de ser um CIO. Eu odeio quando vejo o CIO a reportar ao CFO.

A visão que o CIO pode fornecer às organizações é absolutamente única, por isso precisamos de fazer o CIO cumprir o seu papel de uma forma que o seu valor seja evidenciado.” Obter o suporte e incutir confiança em todo o negócio é também uma obrigação para os CIO modernos, explicou Alvarez.

“É ter o apoio do CEO, mas é também um desafio garantir que todos os executivos compreendam o papel das TI. Isso é uma das coisas que meu actual CIO me disse recentemente”, afirmou.

“Outra questão é para mostrar o valor da TI para os níveis mais baixos da organização. Não basta ir aos gestores, conversar com as pessoas que estão realmente fazendo o trabalho. Verifiquem quais são as pequenas coisas capazes de fazer uma grande mudança “




Deixe um comentário

O seu email não será publicado