Portugal com 2% dos sites infectados

O relatório de transparência da Google apresenta dados sobre segurança da Internet em vários países, baseado na recolha feita com a tecnologia Safe Browsing: em Portugal foram monitorizados esta semana, 4,317sites.

A Google adicionou ao seus relatórios de transparência semestrais dados sobre a segurança de redes, revelando alguns novos números sobre malware e tentativas de phishing: 4,317sites foram monitorizados na última semana analisada pelos sistemas da empresa em Portugal, 2% dos quais mostraram evidências de infecção.

A informação baseia-se em elementos recolhidos com a tecnologia Safe Browsing para navegação segura na Internet, criada em 2006 para analisar milhares de milhões de endereços todos os dias. A tecnologia Safe Browsing é usada actualmente por cerca de mil milhões de utilizadores, segundo a empresa. A empresa alerta que a infromação não é exaustiva, sendo apenas um indicador da presença de software nocivo.

O serviço resultante apresenta avisos quando os utilizadores dos browsers Chrome, Firefox e Safari acedem a sites perigosos. Esses sites inseguros, segundo a Google são classificados em duas categorias:
– os sites de malware usam código para instalar software malicioso nos computadores dos utilizadores;
– sites de phishing, que falsificam a sua legitimidade para tentar levar as pessoas fornecer dados pessoais.

Com a informação, será possível ver quantos avisos são feitos aos utilizadores pela tecnologia Safe Browsing em cada semana (mais de 88 milhões à data de 16 de Junho), onde estão alojados sites maliciosos por todo o mundo: a Europa é um “viveiro”, segundo a Google. O relatório permite ainda analisar o tempo de resposta dos gestores dos sites (aos problemas) e a rapidez com a qual os sites voltam a ser infectados após o malware ser removido – a taxa tem “aumentado drasticamente”, face ao rastreio periódico de sites infectados, diz a Google.

O relatório também inclui uma secção sobre eventos mais relevantes na visão da Google, onde se detalha alguns incidentes de segurança específicos, responsáveis pelas maiores tendências apresentadas.

(Zach Miners, IDG News Service)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado