Safira abre unidade de formação

Será uma operação com funcionamento autónomo e apresentando cursos centrados na agilidade empresarial, conceito que a empresa funda em boas práticas de gestão de processos, gestão de conteúdos e de gestão de decisões operacionais.

A Safira tem um nova unidade de negócio autónoma centrada na formação: a Safira Academy tem como objectivo potenciar o valor dos activos da empresa, sejam eles recursos humanos, produtos e soluções ou referências de projecto, explica um comunicado.

A unidade promove várias iniciativas, diz o mesmo, incluindo “a gestão e execução de projectos em clientes ‘incubadora’, com os quais existe um acordo de parceria, e formação interna e externa”. Mas a operação pretende ainda fazer “o desenvolvimento de soluções que permitam aos consultores estarem preparados para enfrentar desafios internacionais, e melhorarem as capacidades em várias áreas e em cenário real.”

Os cursos disponibilizados pela SAFIRA Academy incidem essencialmente no conceito de “Business Agility”, o qual na visão da empresa enquadra os temas de Business Process Management, Enterprise Content Management e Operational Decision Management). A preparação para a “agilidade empresarial” também inclui o desenvolvimento de aplicações móveis, e formação em tecnologias base como a linguagem JAVA, .NET e de base de dados.

De acordo com o comunicado estarão disponíveis também sessões disponíveis formações em auto-estudo acompanhado através de uma avançada plataforma de e-Learning. A médio prazo, a empresa pretende desenvolver materiais e cursos de formação sobre gestão de projectos e outras áreas não-técnicas (soft skills).

Luís Correia, gestor na SAFIRA, responsável pela unidade, considera que o lançamento da SAFIRA Academy surge na sequência do investimento contínuo da organização na qualidade e na actualização tecnológica da sua equipa. “Com a aposta estratégica na área de Business Agility (BPM, ECM e ODM), cedo percebemos que um factor crítico para o sucesso no mercado global onde actuamos – no ano passado mais de 60% das receitas Safira foram provenientes de projectos fora de Portugal – seria a preparação e formação dos nossos consultores”.

Mas o volume das solicitações acabou por exceder a capacidade de oferta. “A Academia foi assim criada com o intuito de gerar competências e conhecimento mais alargado nas áreas em que estamos a trabalhar, além de ser um pólo gerador de transferência de conhecimentos para os nossos clientes nas soluções e metodologias implementadas”, explica Correia.

De acordo com um comunicado,  no ano passado a Safira obteve 70 novas certificações IBM e 50 Microsoft  Todos os gestores são certificados em gestão de projectos de acordo com as melhores práticas do PMI, sublinha o documento.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado