Processadores de smartphones em supercomputadores

Centro de Supercomputação de Barcelona construiu um protótipo de supercomputador que usa processadores ARM.

Chips de smartphones e de tablets agora seguem agora o caminho dos computadores de alto desempenho, oferecendo uma alternativa eficiente aos chips de servidores usados nos supercomputadores mais rápidos do mundo.

O Centro de Supercomputação de Barcelona (BSC) construiu um protótipo de supercomputador que usa processadores ARM e que serão implantados em Julho, disse o centro na semana passada, em comunicado. O computador de alto desempenho está a ser anunciado poucos dias antes da International Supercomputing Conference, que decorre esta semana em Leipzig, na Alemanha.

Os processadores ARM são usados na maioria dos smartphones e tablets do mundo, enquanto que mais de 400 dos supercomputadores mais rápidos da lista “Top 500” são baseados em processadores para servidores x86 da Intel ou da Advanced Micro Devices. O interesse em ligar os processadores de smartphones em servidores tem vindo a crescer, já que as empresas procuram reduzir os gastos energéticos, e os processadores ARM têm sido considerados para uso em servidores de processamento de cargas de trabalho baseadas na Web.

O desempenho da supercomputação está a duplicar a cada dois anos, mas o consumo de energia subirá muito. O BSC tem vindo a investigar o uso de processadores ARM de baixo consumo em supercomputadores como forma de aumentar o desempenho ao diminuir esse consumo de energia. O centro argumentou, recentemente, que os processadores ARM mais baratos poderiam finalmente ultrapassar os chips mais sedentos de energia e caros para servidores x86, tal como o x86 “expulsou” o Power, da IBM, e outros processadores RISC no passado.

O supercomputador do BSC, chamado Pedraforca, terá um conjunto de 3 chips Tegra da Nvidia com GPUs Tesla da empresa, o que pode acelerar operações específicas científicas e matemáticas. O chip Tegra 3 é baseado em cinco anos de design da ARM Cortex-A9, enquanto a tecnologia gráfica é semelhante ao utilizado no computador mais rápido do mundo chamado Titan, que junta 18,688 GPUs Tesla  com 299,008 núcleos CPU Opteron da Advanced Micro Devices.

O supercomputador será instalado no BSC em Barcelona. A fabricante francesa de servidores Bull e a empresa italiana E4 Computer Engineering integrarão e implantarão conjuntamente o Pedraforca.
(Agam Shah, IDG News Service)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado