PJ detecta burla informática

Prejuízos ascendem a 15 mil euros, considerando os movimentos bancários no valor de 65 mil euros, até agora identificados pelas autoridades. Três pessoas foram detidas.

A PJ detectou um esquema de burla informática, envolvendo cópia de dados de cartões bancários cedidos no âmbito da prestação de serviços. A informação era mais tarde usada na compra de bens e serviços, através da internet, explica um comunicado da autoridade.

“Até ao momento apurou-se que este esquema permitiu a realização de movimentos bancários que ascendem a cerca de 65.000 euros, correspondendo a um prejuízo efectivo de 15.000 euros, tendo, igualmente, a Polícia Judiciária apreendido dados relativos a mais de 40 cartões bancários distintos e material adquirido ilicitamente”, acrescenta autoridade no seu site. A PJ estima que “o montante da fraude venha a ser bastante superior”, porque a investigação está numa fase inicial.

A operação está a ser desenvolvida pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) em colaboração com a Directoria do Sul e com a Paywatch e a Unicre. No âmbito da mesma a PJ deteve uma mulher e dois homens, de idades compreendidas entre os 20 e os 25 anos, “por suspeita da prática de vários crimes de burla informática e associação criminosa”.

Os detidos foram presentes a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhes sido aplicada a medida de coação de apresentações diárias, segundo as autoridades.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado