Cabovisão abre porta para mercado empresarial (actualizada)

A Altice, dona do operador, deverá concretizar os seus objectivos de aquisição da Oni, tendo a Gestmin confirmado a venda da sua participação (34,6%) e da Riverside (65,4%), na segunda empresa. O valor do negócio ainda não foi revelado.

A Gestmin confirmou em comunicado a venda da sua participação na Oni à Altice, dona da Cabovisão. “No quadro do acordo de accionistas” do primeiro operador, a Riverside – detém indirectamente, através da Winreason, 65,4% do capital social – é obrigada a fazer o mesmo.

O valor do negócio não foi divulgado mas a Lusa apontava para os 82 milhões de euros e referiu a existência de um pré-acordo. O jornal Público baseado em estimativas de responsáveis do sector, concluía que o valor deverá ficar entre os 80 e 90 milhões de euros.

A aquisição permitirá à Cabovisão maior capacidade para desenvolver um actividade consistente no mercado empresarial. Não só expande a cobertura dos seus serviços à escala a nacional, como poderá converter a sua licença da Oni para comunicações sem fios, em banda larga, baseadas em tecnologia WiMax, para uma licença de LTE (Long Term Evolution).

A Cabovisão passará assim a desenvolver uma actividade de operador virtual (MVNO), de acordo com fontes ouvidas pelo Público. A Altice controla o maior operador francês de cabo, a Numericable.

Altice “activamente” atenta à consolidação

“É intenção do grupo desenvolver e consolidar o seu negócio em Portugal, continuando atento, com a intenção de participar activamente na consolidação do mercado português das telecomunicações”, diz em comunicado sobre a aquisição, o grupo Altice. No mesmo, a organização procura chamar atenção para o conhecimento acumulado na gestão das necessidades de clientes como a EDF (utilities francesa de electricidade) ou ministérios câmaras municipais francesas.

(actualizada com informação de comunicado da Altice)

 




Deixe um comentário

O seu email não será publicado